Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável compõem uma agenda mundial para a construção e implementação de políticas públicas que visam guiar a humanidade até 2030 por um mundo melhor, mais justo e mais inclusivo.

Em setembro de 2015 a Agenda 2030 foi criada pelas Nações Unidas onde 193 líderes mundiais assumiram o compromisso de unir as nações e a humanidade no âmbito da melhoria contínua da qualidade de vida e do planeta com medidas ousadas e transformadoras.

O documento que foi aprovado em 2015 por mais de 193 chefes de estado e governo foi um documento chamado “Transformando o nosso mundo: Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável” e dentro desta agenda há os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 169 metas a serem atingidas até 2030.

A Agenda tem basicamente 4 partes:

Divisão e Princípios, Quadro de Resultados, Meios e Implementação, Acompanhamento e Revisão.

Essas 4 partes formam a Agenda 2030 da ONU, onde os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estão internamente localizados nessa agenda.

A Agenda 2030 se inicia aqui no Brasil com a Rio-92, criando um embrião do que vem a ser o desenvolvimento sustentável. E na Rio+20 se lança a base para a construção dessa agenda, mostrando o desenvolvimento sustentável não apenas como uma agenda ambiental, porém evidencia o tripé econômico, social e ambiental.

Lembrando que esse tripé deve atuar de forma unida para que o desenvolvimento sustentável verdadeiramente ocorra.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) dá a continuidade aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) que foi criado em 2000 e tinha oito objetivos de combate à pobreza a ser alcançados até o final de 2015.

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) trouxeram grandes conquistas, porém era necessário a criação e entendimento de uma agenda mais ampla e mais inclusiva em todas as questões que afetam diretamente o planeta e a humanidade e consequentemente a qualidade de vida, assim surgia os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Essa agenda abrange temas fundamentais ao desenvolvimento humano em cinco perspectivas (pessoas, planeta, prosperidade, parceria e paz).

Vale ressaltar que esses 17 temas não podem ser tratados de forma individual, porém entendamos que os temas se completam uns aos outros sem divisão entre si. Ou seja, necessita de políticas públicas e soluções, porém necessita de agregar a sociedade nessas demandas, para haver integridade em todas as ações no âmbito dos ODS.

O PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) é o responsável pela implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em cerca de 170 países e territórios, inclusive no Brasil e possui uma visão mais integral dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

É uma agenda múltipla que contempla, combate a pobreza, a agricultura, saúde, energia, etc …

Enfim, todas as questões que envolvem o cotidiano da humanidade, que por sua vez, necessita de esclarecimentos ao ponto de sua efetiva participação na concretização da agenda.

É uma agenda diversificada que contempla desde chefe de estado a chefe de família e vale para todas as nações (desenvolvida e em desenvolvimento).

O desafio dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) é considerar as diferenças em todos os temas em todas as regiões na formação de políticas públicas. No Brasil, buscar a conscientização de que essa agenda não é de governo algum, porém uma agenda de estado, pois ele tende a ser permanente, independente dos mandatos dos governos.

E o desafio da humanidade é ter conhecimento dessa agenda e se integrar a ela no seu cotidiano de forma participativa em todos os âmbitos dos 17 temas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).