São Paulo – SP 10/6/2020 – O gestor deve pensar que a oportunidade de liderar é a chance de capacitar, incentivar e meritocrática pessoas.

A tecnologia hoje em dia ajuda o mundo a monitorar a conduta de líderes. Sejam eles empresariais, políticos ou religiosos.

A conduta de líderes políticos e empresários nunca esteve tão em evidência como agora com os desafios que a crise que a Covid-19 gerou. O mundo olha para cada conduta, comportamento e ação desses dirigentes seja de grandes multidões ou da própria empresa que prestam serviço.

Nos dias de hoje o acesso à informação está facilitada e a repercussão mais rápida por conta da tecnologia avançada e das mídias sociais. Segundo administradora de empresa Gilvaneide Alves de Andrade Lins, ao mesmo tempo que a tecnologia expõe, pode integrar as pessoas.

Gilvaneide, que tem liderado há anos equipes multidisciplinares, destaca a importância de o líder ter empatia, boa relação interpessoal e, principalmente, ser um gestor treinador. “Estar atento as necessidades das pessoas, criar oportunidades para o desenvolvimento delas, contribui significativamente para um excelente desempenho profissional são algumas das ações que podem fazer a diferença na empresa”.

“O gestor deve pensar que a oportunidade de liderar é a chance de capacitar, incentivar e meritocrática pessoas, pois acredito ser o mais importante na construção e manutenção para qualquer resultado sólido”, afirma a administradora.

Lins relata que em uma empresa é normal o gestor ter desafios com a equipe. Há projetos que proporcionaram redução em indicadores internos de alto impacto na performace operacional como redução do absenteísmo, turnover, aumento da qualidade, contribuindo para redução de custos o que proporcinou maior rentabilidade ao negócio. “Ter foco no cliente é essencial para desenvolver um bom trabalho e atender a expectativa do consumidor final, pois entendendo suas reais necessidades, podemos criar projetos que agreguem valor a marca, a instituição e a experiência com a empresa, essas devem ser a maior prioridade”.

Saber conduzir uma equipe, projeto, nação requer atenção nos detalhes. “Cada palavra pode fazer a diferença e hoje com a tecnologia uma simples reunião pode ser repercutida positivamente ou não para milhares de pessoas”, alerta Gilvaneide. Em sua experiência a administradora relata que teve a oportunidade de conduzir um projeto que tinha como foco o turnover – rotatividade das pessoas na empresa. “Para mim, este indicador mede a qualidade das empresas no mercado, pois quanto maior a rotatividade, maior improdutividade. Este projeto teve como foco a retenção do capital humano e consequentemente, o aumento da produtividade, o que possibilitou excelentes resultados no que tange a melhor performance na entrega de resultados e melhoria do clima organizacional”. 

“A verdade é que o gestor deve aproveitar da tecnologia e da repercussão das suas ações, discursos e projetos para fazer com que a empresa apresente resultados promissores e cresça não só financeiramente, mas também em recursos humanos. A pandemia mostrou que um bom gestor consegue seguir em frente com sua equipe mesmo em meio a crise e a distância se ele já vinha trabalhando sua liderança anteriormente e isso é em qualquer âmbito da sociedade”, finaliza a Administradora.

Website: http://www.dino.com.br