BANDEIRA AZUL É ARRIADA POR CAUSA DAS GIGOGAS NO PERÓ

BANDEIRA AZUL É ARRIADA
BANDEIRA AZUL É ARRIADA / foto: INEA

Símbolo internacional de qualidade de praias, a Bandeira Azul foi arriada excepcionalmente na tarde desta sexta-feira no Peró por causa das toneladas de gigogas que vieram das lagoas de Carapebus. Durante o dia, centenas de trabalhadores, guarda-parques e voluntários participaram de um grande mutirão de limpeza das praias do Peró e das Conchas. O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Flávio Moreira, disse que a bandeira será novamente hasteada às 8h deste sábado porque as equipes fizeram a limpeza completa das praias até o fim da tarde.

O mutirão reuniu mais de cem servidores municipais e agentes do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), entre os quais o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas, Marcelo Morel, e a chefe do Parque Estadual da Costa do Sol (PECS), Natalie Chagas. Mário Flávio Moreira e a coordenação do projeto Bandeira Azul também participaram, além de dezenas de garis da Comsercaf, que estão trabalhando dia e noite na retirada das gigogas que encostaram nas praias.

 GIGOGAS NO PERÓ / Foto: Mário Flávio
GIGOGAS NO PERÓ / Foto: Mário Flávio

— Está tudo limpo com a atuação da força-tarefa Prefeitura/INEA. Embora as gigogas não oferecessem riscos aos banhistas, o protocolo recomendou a retirada temporária da Bandeira Azul por causa da poluição visual e da  movimentação de tratores na areia. Neste sábado com certeza ela estará de volta ao mastro – afirmou Mário Flávio.

A chefe do PECS disse que a comunidade e a prefeitura pediram auxílio ao governador Wilton Witzel para a operação de limpeza das praias:

— Foi um trabalho braçal e pesado no Peró e nas Conchas, na área do PECS. Neste sábado vamos atuar em Búzios, com ajuda de guarda-parques de outros parques – explicou.

 GIGOGAS NO PERÓ / Foto: Octacilio
GIGOGAS NO PERÓ / Foto: Octacilio

Durante o mutirão, os turistas também participaram da limpeza da praia. Foi o caso da italiana Camila Massara, que está passando uma temporada em Cabo Frio e se juntou à equipe do INEA. Na área certificada, o analista de redes Vinícius Cofler Miguel e sua mulher, a engenheira civil Suelen, que moram em Vitória, no Espírito Santo, ajudaram os garis da Comsercaf:

— Nós escolhemos a Região dos Lagos para passar nossa lua de mel. Somos de famílias humildes, que aprendem a dar valor ao pouco que têm. Nós estávamos sentados, em trajes de banho, e vimos os trabalhadores, de calça, tênis e celular, na água retirando as gigogas. Nós levantamos fomos ajudar. Para nós isso é padrão: ajudar e manter as coisas limpas. E este lugar é lindo demais – comentou Vinícius.

As gigogas chegaram ao Peró e a outras praias da Região dos Lagos por causa da abertura irregular das Lagoas de Carapebus e Paulista, no Norte Fluminense. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal estão apurando responsabilidades. As barras das lagoas foram abertas pela Prefeitura de Carapebus, com autorização do ICMBio, e a do Paulista por populares. Neste sábado, a limpeza será feita no Pontal do Peró.

— Inadmissível autorizar uma abertura de comportas sem a menor avaliação de impacto ambiental e prejuízos as cidades vizinhas. E agora? Quem paga a conta? – indagou Magno Maiques, um dos coordenadores do Projeto Bandeira Azul.