nanopartículas de prata
nanopartículas de prata / foto: Each/USP

Sr. Presidente Macron:

V.Ex.a tem demonstrado grande preocupação com o futuro de nossas árvores (Amazônia) mas, por favor, se preocupe também com o futuro da nossa água, nossa terra e nossas crianças.

Uma gigante da indústria têxtil francesa lançou no mercado brasileiro uma fibra sintética que diz ser capaz de “matar o coronavírus de forma segura, sem perder o efeito durante a vida útil do produto”. Nosso Código de Defesa do Consumidor diz ser obrigatório especificar nos rótulos todos os componentes importantes e, mesmo não o fazendo, dá para verificar que a ação germicida dessa inovação se baseia na impregnação do material com nanopartículas de prata.

Apesar das legislações nacional e internacional não terem regras bem definidas para esta nova tecnologia, é enorme o volume de publicações científicas mostrando riscos de toxicidade para a saúde e meio ambiente. O “Relatório do Comitê Científico da União Européia sobre os Riscos de Saúde Identificados Recentemente. Opinião sobre NANOPARTICULAS DE PRATA: segurança, efeitos ambientais e na saúde, e seus efeitos e papel na resistência antimicrobiana, que o SCENIHR aprovou no sexto plenário de 10-11 Junho 2014, diz:

“Ao avaliar a fase final de vida dos produtos contendo nano partículas de prata (Ag-NP), é assumido que o tratamento dos resíduos (reciclagem, tratamento de água, aterros e incineração) seja similar ao dos produtos convencionais. Consequentemente, o conteúdo de prata nos resíduos não reciclados vai terminar no meio ambiente, ou como resíduos sólidos nos aterros, emissão das unidades de tratamento de água, ou como resíduos das unidades de incineração.”

Diz também:

“Em humanos, foi demonstrada a presença orgânica após a administração de Ag-NP via oral ou pulmonar. Os principais órgãos alvos para a deposição da Ag-NP após a disponibilização sistêmica foram: baço, fígado e os rins, havendo uma distribuição menor nos outros órgãos; para a exposição intravenosa foi demonstrado que o sistema imune é o alvo mais sensível à toxicidade da Ag-NP. In vitro, o efeito genético tóxico das nano partículas de prata tem sido relatado. Como os estudos disponíveis são poucos, foi concluído que estudos adicionais são necessários para uma conclusão final”.

A história da ciência e tecnologia atuais se apoia em pilares que, certamente, falam francês: Curie, Ampére, Cousteau, Coulomb, Descartes, Foucault, Poisson, Galois, Cauchy, uma lista incontável de cientistas – verdadeiros benfeitores da humanidade – que termina em dois nomes ímpares: JEAN BAPTISTE JOSEPH FOURIER, gênio matemático e o primeiro a reconhecer o efeito estufa da atmosfera, e LOUIS PASTEUR, o primeiro a provar a existência dos micróbios.

Existe sim muita coisa a ser preservada. Contamos com a sua liderança nesta luta que não promete ser fácil, mas vale a pena!  Merci.