A barra da Lagoa do Paulista, em Carapebus, no Norte Fluminense, abriu naturalmente, às 17h30m deste domingo, após uma chuva de cinco hortas em Quissamã. O canal Macaé-Campos, assoreado, transbordou e suas comportas tiveram que ser abertas, levando muita água e vegetação para a Lagoa do Paulista, cuja barra fora fechada artificialmente com ecobags levados pelo INEA. Apesar do esforço de vários voluntários para impedir a reabertura, a pressão da água reabriu a barra. Segundo Haroldo Carneiro, morador de Quissamã, vários bairros da cidade ficaram inundados após a chuva de 160 milímetros:

— O canal Macaé-Campos não é limpo há anos, por isso está assoreado. É possível que mais gigogas e taboas do canal cheguem ao mar – comentou Carneiro.

A quantidade de gigogas e taboas que foi para o mar, contudo, é bem menor em relação à vegetação que saiu das Lagoas do Paulista e de Carapebus, em dezembro, provocando a poluição das praias da Região dos Lagos. Além disso, as correntes marítimas estão levando o material para o sentido Norte (Campos).

— A vegetação está seguindo no sentido Norte e encostando-se à orla de Carapebus e de Quissamã. No dia 14 de dezembro, foram abertas as barras de duas lagoas e as correntes estavam na direção sul. É pouco provável que as gigogas e taboas voltem a poluir as praias da Região dos Lagos. E é urgente que se faça um plano para tratar os esgotos que polui a Lagoa de Carapebus – cobrou o corretor de imóvel Juninho Luna, morador de Carapebus.

O diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do INEA, Marcelo Morel, disse que está acompanhando a situação na Lagoa do Paulista. Segundo ele, era previsível a reabertura da barra em caso de chuvas fortes, como acabou acontecendo.

— Choveu muito na Região Serrana, principalmente em Nova Friburgo. A água escoa por canais que deságuam nas lagoas. A quantidade de gigogas e taboas na proximidade das barras é pequena, mas no fundo da Lagoa de Carapebus ainda há muita vegetação. Temos que torcer para que a barra desta lagoa não abra novamente e que as correntes marítimas não estejam em direção à Região dos Lagos.

Nesta segunda-feira, a coordenação do projeto Bandeira Azul e a comunidade do Peró, em Cabo Frio, vão prestar homenagem aos garis da Comsercaf-Peró, comandados por Homero Silva, que trabalharam dia e noite para retir as gigogas e taboas que cobriram a areia da Praia do Peró, em especial no trecho certificado com a Bandeira Azul. A homenagem vai acontecer na abertura da Colônia de Férias promovida pelo projeto.

FOTO:  A força das águas abriu a barra da Lagoa do Paulista às 17h30m de domingo. Fotos de Haroldo Carneiro.