Comércio de alimentos via internet é opção para consumidores online

São Paulo 15/5/2020 –

A internet se consagra como grande aliada às empresas que exercem atividades de comércio de alimentos digitalmente

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2016, o país já somava 116 milhões de brasileiros conectados à internet. Isto quer dizer que 64,7% da população na faixa etária acima de 10 anos utiliza o mundo digital como meio de comunicação, o que facilita a atuação de empresas nesse campo.

Sendo assim, a internet se consagra como grande aliada às empresas que exercem atividades de comércio de alimentos digitalmente. Embora ainda utilizem os artifícios tradicionais em canais de comunicação como TVs, rádio e telefones, o meio digital ainda é considerado a principal estratégia de divulgação dos alimentos, visto que 63,3% das casas brasileiras possuem acesso à internet, segundo o IBGE.

Por se tratar de uma opção simples, rápida e acessível, a compra por sites ou redes sociais tem sido cada vez mais favorável aos consumidores, por permitir a ampla visualização dos produtos e uma maior facilidade de escolha e pagamento, além de oferecer conforto e segurança ao cliente.

Público feminino cada vez mais conectado

O destaque do público feminino em relação ao masculino na internet é maior. Segundo dados do IBGE, o índice de mulheres conectadas chega a 65,5%, enquanto os homens possuem o acesso de 63,8%. Desta mesma forma, foi constatado que o público na faixa etária entre 18 e 24 anos passa mais tempo conectado, sendo equivalente a 85% dos acessos. Por outro lado, apenas 25% dos brasileiros com mais de 60 anos possuem o costume de navegar pela internet.

Foi avaliado ainda que as regiões Nordeste e Norte são as únicas que apresentam taxas de conexão inferiores à média do país, sendo equivalentes a 52,3% e 54,3% respectivamente. Por sua vez, o Sudeste possui o maior índice, apresentando uma média 72,3% dos moradores com acesso à internet, enquanto o Centro-Oeste possui 71,8% e o Sul, 67,9%.

Avanço da tecnologia mobile

Com os avanços tecnológicos e os aparelhos telefônicos cada vez mais modernos, os celulares são a principal ferramenta utilizada para ter acesso à internet no Brasil. Pensando nisso, foi realizada uma pesquisa pelo IBGE em que o resultado obtido mostra que, aproximadamente, 77,1% dos brasileiros possuem um aparelho celular, e estes são utilizados por 94,6% dos internautas, enquanto os computadores são usados por 63,7%, tablets por 16,4% e TVs por 11,3%.

Estimativas para os próximos anos

Conforme avaliado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as estimativas indicam que, até o ano de 2023, o e-commerce do mercado alimentício irá movimentar por volta de R$ 48 bilhões. Portanto, vender produtos alimentícios online torna-se, cada dia mais, a fonte de renda de muitos trabalhadores e empreendedores desse ramo, os quais representam 2% da população brasileira.

Isso significa que o comércio de alimentos via internet deve ser amplamente explorado por empresas do segmento, uma vez que a praticidade e acessibilidade será uma opção muito favorável aos consumidores. Sendo assim, a vantagem de implantar a tecnologia do e-commerce possibilitará o destaque das empresas do ramo alimentício no mercado, atuando principalmente na captação e fidelização de clientes.

A Fin’Arte é uma empresa de alimentos também presente no meio digital, oferecendo opções com acessibilidade e praticidade para pedidos online. No site, é possível encontrar produtos como brownie de chocolate, bolos americanos , fludens e bolos amanteigados.

Website: http://finartealimentos.com.br