Imagem: Pixabay

Todo mundo que embarca em uma dieta low-carb para emagrecer deseja perder peso, ter mais saúde, e viver uma vida mais plena e feliz.

Porém, no dia a dia pode ser difícil a gente se manter motivado.

Especialmente se sentirmos que nossos esforços não estão sendo recompensados.

Afinal de contas, que atire a primeira pedra quem nunca se pegou pensando: “mas será que está mesmo funcionando? Ou será que meu progresso estagnou?

A verdade é a seguinte: se a gente não souber como acompanhar nosso progresso, fica impossível responder esta questão com objetividade.

Por isso, hoje vamos falar sobre as 3 melhores formas de acompanhar seu progresso.

Vamos falar sobre estes 3 métodos, e entenda que você não precisa escolher apenas uma delas: se as usar em conjunto, vai poder ter uma melhor visão do todo.

Vamos falar rapidinho sobre cada uma das formas, e depois tecer algumas considerações.

Método #1 Para Acompanhar Seu Emagrecimento — Balança

A primeira sugestão, e também a mais clássica, rápida e prática, é se pesar em uma balança.

Porém, duas considerações precisam ser feitas.

É preciso sempre se pesar nas mesmas condições — para que assim as comparações possam ter consistência.

Por exemplo, você pode optar por se pesar todos dias (ou apenas um dia por semana) logo após acordar e ir ao banheiro.

Perceba que isso é bem diferente de você se pesar cada dia em um horário, afinal é normal que nosso peso varie em 2kg dentro de um mesmo dia — dependendo de quanta água e comida você ingerir.

Também é válido lembrar que você não deve confiar cegamente na balança e nem ficar obcecado com os números obtidos.

Isso por dois motivos principais.

É normal que seu peso flutue bastante de um dia para o outro, e isso não deve ser motivo para pânico. 

O importante é focar no longo prazo — ou seja, é tudo bem se você ganhar 1 kg de um dia para o outro, o que importa é quanto você emagreceu ao longo de 3 ou 4 meses. 

Além disso, em alguns casos mais raros, pode acontecer de você sentir que está emagrecendo (principalmente seguindo um dos dois métodos a seguir), mas isso não vai se refletir na balança.

Isso pode acontecer por conta de você estar perdendo gordura e ganhando músculos ao mesmo tempo — o que é excelente! 

O fato é que a balança é um instrumento meio “bruto”, que não consegue diferenciar massa gorda (gordura) e massa magra (músculos, água, cabelo, glicogênio, ossos — enfim, tudo o que não é massa gorda).

Neste ponto, é importante fazer um alerta: nem mesmo as medições daquelas balanças de bioimpedância são confiáveis.

Elas calculam a porcentagem de gordura corporal baseado em algumas fórmulas, e na teoria isso parece lindo.

O problema vem na prática: já vimos dezenas de pessoas que estavam indo muito bem na alimentação low-carb “desistirem de tudo” porque a balança deu um número completamente irreal.

Um exemplo numérico simples: a pessoa pesava 80kg, sendo 24kg de gordura. Isso daria cerca de 30% de gordura corporal.

Em algumas semanas, ela emagrece 1kg de gordura, 1kg de glicogênio, e 3 kg de água (inchaço e retenção).

Agora, ela pesa 75kg, sendo 23kg de gordura. A balança vai apontar 31% de gordura corporal — ou seja, o percentual de gordura dela vai “aumentar”, e a pessoa vai pensar que está perdendo “apenas músculos”. Mesmo que ela não tenha perdido nem um grama de massa magra sequer!

(Isso assumindo que a balança ainda conseguiu medir corretamente — uma hipótese bem ousada, na verdade.)

Por isso, recomendamos que você opte por uma balança simples para ter em casa: digital, por favor (já estamos em 2022), mas sem necessidade de recursos adicionais e desnecessários como a bioimpedância. 

Resumindo: Não precisa quebrar sua balança — ela é capaz de dar informações bastante boas e úteis. 

Porém, você precisa saber usá-la. Encare como uma ferramenta de médio / longo prazo, e não fique refém das flutuações diárias.

Também entenda que, se ganhar massa muscular, o peso na balança vai aumentar.

Por isso, é útil aliar a balança com nosso método #2: as medidas corporais.

Método #2 Para Acompanhar Seu Emagrecimento — Medidas corporais

Medidas corporais são excelentes porque elas complementam as informações da balança.

Por exemplo, vamos supor que, em um dado mês, seu peso não mudou nada.

Porém, você compara suas medidas e vê que ganhou 1cm de coxa, e perdeu 2cm de abdomen.

Claramente algo de bom está acontecendo aí!

Neste caso, saiba que algumas das medidas que mais gostamos de registrar são as seguintes:

  • Pescoço
  • Busto 
  • Cintura (2 dedos acima do umbigo)
  • Abdômen (na altura do umbigo)
  • Quadril
  • Coxa
  • Panturrilha
  • Braço
  • Antebraço 

(Essas últimas 3 especialmente úteis para quem está buscando a hipertrofia.)

Você pode usar uma fita normal, dessas de costureira, para medir suas circunferências.

Resumindo: Medidas são um complemento ideal à balança. Some esses dois métodos ao nosso terceiro para ter uma melhor visão do seu progresso.

Método #3 Para Acompanhar Seu Emagrecimento — Fotos de antes e depois

Essa estratégia pode parecer muito simples — mas acaba sendo, de longe, a mais esquecida.

Principalmente porque a maioria das pessoas que está acima do peso acaba não gostando muito de tirar fotos na frente do espelho em trajes de banho.

E está tudo bem — é justamente por isso que estamos escrevendo esse texto para você.

Para te incentivar justamente a tirar fotos na frente do espelho pelo menos uma vez a cada três meses e, de preferência, sempre nas mesmas posições (de frente e de lado).

Inclusive, pode parar de ler e tirar fotos AGORA. 

No seu celular mesmo. Eu espero.

Fez isso?

(Espero que sim. Comenta aqui embaixo se você tirou fotos do seu “eu de agora” para poder comparar com os resultados de daqui algumas semanas ou meses.)

E eu sei que isso pode parecer perda de tempo no começo.

Porém, acredite: que você vai nos agradecer quando tiver um belo registro do seu emagrecimento no formato de fotos.

E sabe: é muito mais fácil ver seu progresso comparando fotos com um grande intervalo de tempo entre elas, do que apenas comparando sua imagem de hoje com a do dia anterior (nós somos ótimos em nos acostumarmos rapidamente com as coisas, inclusive com nossa nova aparência).

Lembre-se sempre de tirar nas mesmas posições (idealmente: de frente, de costas, e de lado), e de não ficar fazendo muita pose (murchando a barriga, flexionando os músculos, etc).

Ou, se for fazer com pose (e nada de errado com isso), faça também sem elas — para, assim, ter um registro mais acurado da sua evolução.

Resumindo: Tirar fotos é grátis e vai fazer toda a diferença para documentar seu progresso.

Como Acompanhar Seu Emagrecimento: Palavras Finais

Todos os 3 métodos são válidos — tanto para fases em que seu objetivo é perder de gordura quanto para outras com foco no ganho de massa muscular.

O ideal não é escolher apenas uma: e sim usar as 3 para ter uma visão mais precisa da nossa evolução.

Afinal de contas, muita gente acha que precisa estar motivada para ver resultados.

Mas a verdade é justamente o oposto: é quando vemos resultados que nos motivamos a continuar.

Então, use os métodos de que falamos hoje para acompanhar sua evolução.

E me conte: você já usa algum dos métodos? Usa algum outro que não citamos? 

Conta pra gente aqui nos comentários. 👇

Heloisa Rocha Aguieiras 55 anos – formada em Jornalismo pela UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – MG Pauteira da Ag Experta Media Fui repórter dos impressos: Jornal Comércio da Franca (Franca-SP) Jornal do Sudoeste (São Sebastião do Paraíso -MG) Fui assessora de Comunicação na Ag A Expressão 5 (SP) Atuo como revisora Faço locução Portfólio: https://heloaguieiras.com/