Durante a fase de construção ou reforma de um imóvel, a instalação dos móveis planejados, sem dúvidas, é uma das partes mais esperadas. Eles dão vida ao ambiente e proporcionam expectativas de momentos felizes naquele espaço.

Porém, alguns pontos precisam ser levados em consideração antes de fechar qualquer projeto. Tudo isso para evitar possíveis problemas no futuro. Confira 4 dicas importantes para te auxiliar nesse processo.

Boa parte da construção finalizada

Para que os profissionais possam retirar medidas dos ambientes e realizar um projeto inicial, é necessário que algumas partes da construção já estejam finalizadas. Pode parecer óbvio, mas algumas pessoas, na ânsia de ver tudo pronto, tentam forçar a barra e fazem orçamentos sem algumas etapas estarem concluídas ou prestes a serem finalizadas.

Por isso, é importante manter uma comunicação adequada com o seu público-alvo para evitar esse tipo de situação.

Revestimento de gesso na obra

Como exemplo, temos a parte de revestimento de gesso. Uma das medidas essenciais para serem retiradas do ambiente é o pé direto, que significa a altura do piso ao teto. Visto que será com essa medida que o arquiteto ou design de interiores irá verificar qual altura terá móveis importantes, como armários de cozinha e quartos, closet e home.

Sem o revestimento de gesso finalizado, não há como ter certeza dessa medida, o que tornará o projeto impreciso. Assim, adaptações precisarão ser feitas na própria obra, resultando em desperdício de material, aumento do prazo de entrega e, até mesmo, aumento da despesa com mão de obra especializada.

Instalações elétricas dos ambientes

Da mesma forma, é preciso que as instalações elétricas estejam praticamente finalizadas. Existem projetos de marcenaria que simplesmente ignoram os pontos de iluminação e de tomada. E, no momento da instalação dos móveis, precisam fazer adaptações muito ruins, que não sejam funcionais ou que prejudicam a estética do ambiente.    

Alguns exemplos são tomadas que precisam ficar atrás de móveis, recortes desnecessários em móveis para passagem de condutores e mudanças estruturais nos projetos para adequação ao projeto luminotécnico da casa.

Para que o ambiente fique harmônico, os móveis precisam estar em sintonia também com alguns itens de decoração que precisam de pontos de iluminação, como quadros e pinturas.

Vale ressaltar que mudanças no decorrer da obra costumam encarecer bastante o projeto e causar problemas em cadeia, como a falta de mão de obra especializada e escassez de material adequado em fornecedores.

Necessidades do ambiente

Para que um bom projeto seja feito, é necessário que o profissional responsável, seja um arquiteto ou design de interiores, tenha uma noção muito boa das necessidades do ambiente e de quem irá utilizá-lo.

Ou seja, é preciso que seja feita uma lista com tudo que aquele ambiente irá proporcionar para os seus usuários.

Quando se trata de um closet, por exemplo, é necessário atender as expectativas dos clientes que irão utilizá-lo e não do projetista. Existem pessoas que gostam desse móvel com mais gavetas. Por outro lado, algumas pessoas preferem com mais cabideiros. Já outras, preferem um closet com espaço generoso para a sapateira. Enfim, são estilos muito peculiares e que precisam ser levados em consideração no momento do projeto.

Estilos de projeto

Alguns clientes, quando procuram um profissional para elaborar um projeto de móveis planejados, não tem a menor ideia de qual estilo, seja cores, materiais e até mesmo móveis que irão se adequar melhor ao seu ambiente.

Mas calma, é normal estar confuso em meio a um processo tão extenso como mobiliar todo o seu lar. Porém, é possível amenizar essas dúvidas definindo linhas de projetos adequados para o seu gosto.

Móveis e eletrodomésticos que serão reutilizados

O primeiro passo é analisar quais móveis ou eletrodomésticos irão ser reutilizados, em casos de mudanças ou reformas. É preciso que tudo esteja alinhado, para que a inserção de novos móveis no ambiente não afete a harmonia da sua casa.

Talvez um ou outro item precise ser trocado. É comum, em mudanças de casa para apartamento, que geladeiras maiores não se adequem ao novo projeto. Pois as cozinhas de apartamento são mais compactas e integradas com outros ambientes, como área de serviço e sala de estar.

Estilo dos moradores

Um outro ponto extremamente importante é o estilo das pessoas que irão morar naquele imóvel. Há linha específicas de cores e materiais que podem ser definidos juntamente com o projetista.

É preciso identificar se a sua linha é mais clean, com móveis em cores neutras, como branco, bege, cinza, ou mais rústica, com materiais em tons amadeirados e com textura.

Também há estilos diferentes a serem escolhidos. Como, por exemplo, ambientes com estilo industrial, com a composição de MDF com metalon. Ou provençal, que utiliza inspiração mais clássica com madeira e design mais rústico.

De toda forma, o melhor projeto é aquele que atende as suas necessidades e que cabe no seu bolso. Por isso, não abra mão de trabalhar com profissionais que sejam abertos a conversar e a fazer ajustes na fase de projeto para atender o seu estilo.