O fluxo de turistas entre os estados do Espírito Santo e do Rio vai aumentar nos próximos meses, em conseqüência pandemia, que estimulou o turismo regional de curta distância e de carro. A previsão foi feita pelo novo presidente da Agência Brasileira de Agências de Viagens no Espírito Santo (ABAV-RS), Rodrigo Stange Guimarães, que está fazendo uma visita técnica neste fim de semana em Cabo Frio. O Espírito Santo tem 450 agências de viagens.

Com 21 anos de experiência no turismo, Stange percorreu praias, trilhas e conheceu a gastronomia cabo-friense, concluindo que há muito espaço para turismo não só de lazer como também pedagógico, focado na área educacional, na maior cidade da Costa do Sol. A baixa incidência de chuvas, segundo ele, favorece a venda de pacotes de viagens para a região.

— O capixaba não gosta de praias com aglomeração. Ele busca locais que tenham o que não temos no litoral do Espírito Santo. Vai pesar muito na escolha o hotel ou pousada que ofereça o menor índice de transmissão do novo coronavírus.O hotel ou restaurante precisa ter segurança para ter credibilidade nesta nova fase do turismo – comentou Stange.

Como muito marketing, o presidente da ABAV-ES disse que o Espírito Santo também quer mostrar que tem muito a oferecer aos fluminenses, sobretudo nas áreas de esportes radicais, história e várias opções nas áreas frias de montanha, como o Parque Estadual da Pedra Azul.

Segundo Roberto Saci, hoteleiro e ex-secretário de Turismo de Cabo Frio, os capixabas buscam muito o Sul da Bahia e o Rio de Janeiro, mas ainda são poucos os que fazem turismo na Costa do Sol. Ele acredita que esta realidade vai mudar com a visita técnica do presidente da ABAV-ES.

Rodrigo Stange conheceu o projeto Bandeira Azul, na Praia do Peró, e participou da caminha, com limpeza das dunas e da trilha do Morro do Vigia, no Dia Mundial da Limpeza, no sábado. Ele conheceu a Cabana do Pescador, entre as praias do Peró e Conchas, antiga casa de pescador e cenário de várias novelas. Os moradores estão pedindo ao secretário de Turismo de Cabo Frio, Manoel Vieira, ex-superintendente do IPHAN-Rio, que inicie o processo de tombamento do casario.