Vinte e três famílias que passaram o feriadão da Independência em Mangaratiba tiveram de voltar ao Hotel Portobello, no Sete de Setembro (fim de semana prolongado), por causa do congestionamento no trânsito. O percurso Angra-Rio foi feito em oito horas. Para evitar casos como esse, hoteleiros e condomínios da Costa Verde do Estado do Rio (Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty) vão lançar uma promoção inédita a partir do feriadão da padroeira do Brasil (12 de outubro): desconto de 50% na tarifa para os hóspedes que optarem por ficar  mais um dia nos hotéis e voltar para casa sem ter de enfrentar longos congestionamentos.

Autor da ideia, Carlos Borges, dono do Portobello e da Pousada Porto Imperial, em Paraty, já conseguiu adesão de hoteleiros, de agências de viagens e da Associação de Condomínios da Costa Verde. Sebastian Buffa, operador de turismo em Paraty, disse que seus clientes demoraram 10 horas para chegar ao Rio no dia 7 (o percurso é feito em geral em 4 horas).

— A solução do problema passa pela privatização e duplicação da Rio-Santos, mas esse processo só começará no ano que vem e as obras vão demorar. As pessoas estão nervosas dentro de casa, não podem viajar para o exterior e há dificuldades no transporte aéreo. A Rio-Santos é a única estrada sem pedágio e o problema dos engarrafamentos, que é antigo, vai piorar nos próximos feriadões, no réveillon e no verão – previu Borges.

Segundo o hoteleiro, foi enorme o número de turistas que voltaram para os hotéis dos três municípios. Os engarrafamentos, segundo ele, não só provocam grande sofrimento nos visitantes como também arranham a imagem do destino turístico. Presidente da Associação dos Condomínios da Costa Verde, Manoel Francisco de Oliveira, do Porto Frade, aprovou a ideia e está recomendando o desconto simbólico também para os proprietários que alugam casas por temporada.

— Os motoristas sofrem com o afunilamento da pista nos dois túneis de Mangaratiba. Ali ninguém anda na volta para casa até mesmo nos fins de semana comuns. A melhor opção é voltar no dia seguinte. Com o trabalho em home – office e calendário escolar ainda não definido, isso ficou mais fácil – comentou Manoel Francisco.

Ele acrescentou que a ideia pode ser levada para a Região dos Lagos, que sofre com o mesmo problema dos engarrafamentos nos feriadões, sobretudo no trecho da BR-101 e nas vias estaduais entre a Via Lagos e Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios.

Proprietário do Hotel Fradíssimo e da Pousada Rio Brachuy, Ivan Zabojnik previu que a promoção da diária reduzida vai aliviar o impacto na Rio-Santos na volta dos turistas para casa e na hora de os visitantes avaliarem sua estada na Costa Verde. Ele sugere que a Polícia Rodoviária Federal melhore a organização do trânsito nos entroncamentos da Rio-Santos, principalmente em Mangaratiba, para dar maior fluidez ao trânsito.

Carlos Borges, do Hotel Portobello, lançou a ideia da promoção.
Reprodução da Internet.

— A estrada não está preparada para tantas pessoas que estavam trancadas em casa. O movimento nos feriadões está muito maior do que nos anos anteriores. E foi possível constatar o aumento substancial do número de jovens entre nossos visitantes. A procura por reservas para o réveillon começou em julho, bem antes do normal – concluiu o hoteleiro.

Uma opção de viagem é pegar a Dutra e na altura de Piraí seguir para Rio Claro (a sinalização informa Passa Três, distrito do município). Passa-se pelo distrito de Getulândia, pela sede do município e pelo distrito de Lídice. Quando se chega à Rio-Santos, dobra-se à esquerda para Angra (15 minutos) ou à direita para o Frade e Paraty (duas horas). Não é um atalho (a viagem para Paraty dura mnais ou menos 4 horas pelo trajeto normal sem feriadões) e a estrada Rio Claro-Rio Santos é tortuosa. Mas o trânsito flui bem. A opção vale nos dois sentidos.