Crescimento de vírus e bactérias pode ser analisado a partir das derivadas (Foto: CDC/Unsplash)

As derivadas podem ser usadas em diferentes contextos do dia a dia. Calcular a inflação de uma moeda, os custos de produção de uma fábrica e o deslocamento de um veículo são alguns dos muitos exemplos em que é possível a aplicação das derivadas

De forma geral, tudo o que envolve uma taxa de variação pode ser compreendido como uma derivada. Assim, quando há uma grandeza x que oscila em relação a uma grandeza y, o conceito pode ser utilizado. São inúmeras as situações práticas possíveis, o que ressalta a importância desse conteúdo.

As derivadas são apresentadas aos alunos das Ciências Exatas na disciplina de Cálculo I e acompanham os estudos durante toda a graduação. Saber o porquê das coisas é uma das formas de se sentir mais motivado com os estudos. Por isso, ver exemplos práticos e aplicações das derivadas ajuda a entender o conceito, além de mostrar a interdisciplinaridade do assunto.

Um olhar interdisciplinar

Quando pensamos em grandezas que variam com o passar do tempo, podemos associar o cálculo das derivadas às áreas de Biologia, Economia, Física, Química, dentre outras.

Para identificar o crescimento de população de vírus e bactérias em um determinado intervalo de tempo, os biólogos recorrem às derivadas. Os estudos envolvendo a cultura de microrganismos são importantes para o desenvolvimento de pesquisas e análises laboratoriais.

A Economia pode se apropriar das derivadas para calcular a inflação, observando a variação dos preços em um determinado intervalo de tempo. O resultado interfere no cenário econômico. Quando a inflação está alta, os produtos ficam mais caros e a taxa de juros tende a subir para tentar controlar a situação, o que impacta diretamente na vida dos consumidores e investidores.

As derivadas também auxiliam na identificação da velocidade de um objeto que, segundo os conceitos da Física, trata-se da variação da posição em relação ao tempo. Já as reações químicas são estudadas por meio da análise da variação de concentração de reagentes e o tempo.

As derivadas também são muito usadas na área da Administração, envolvendo a minimização de custos e a maximização de lucros. Um exemplo é o custo marginal, que consiste na taxa de variação entre o custo de produção e o número de itens produzidos, sendo responsável por mostrar em qual quantidade o produtor é mais eficiente.

A disputa entre Newton e Leibniz

Os estudos sobre derivadas reservam muitas curiosidades. A história relata que Isaac Newton e Gotfried Leibniz protagonizaram uma disputa para determinar a autoria do chamado cálculo infinitesimal, parte da matemática que trata das derivadas e integrais.

A atribuição do feito é dada a ambos, considerando que eles sintetizaram os conceitos, apresentaram o cálculo-crítica e ensinaram a aplicabilidade. A versatilidade do cálculo infinitesimal é apontada por estudiosos como a sua principal característica, uma vez que o conceito pode ser usado em diferentes áreas de conhecimento.

Ainda de acordo com os dados históricos, Newton descobriu o cálculo infinitesimal entre 1666 e 1669, mas o apresentou apenas para amigos próximos. A primeira publicação foi realizada apenas em 1704. A descoberta de Leibniz ocorreu alguns anos depois de Newton, entre 1675 e 1676, porém a divulgação foi feita antes, em 1684.

Heloisa Rocha Aguieiras 55 anos – formada em Jornalismo pela UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – MG Pauteira da Ag Experta Media Fui repórter dos impressos: Jornal Comércio da Franca (Franca-SP) Jornal do Sudoeste (São Sebastião do Paraíso -MG) Fui assessora de Comunicação na Ag A Expressão 5 (SP) Atuo como revisora Faço locução Portfólio: https://heloaguieiras.com/