Em tempos de pandemia, causada pela disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), a simples atitude de lavar as mãos é uma das principais aliadas para prevenir a contaminação. De acordo com a médica infectologista Marta Fragoso, do Hospital VITA, em Curitiba, manter as mãos limpas e higienizadas não são cuidados necessários somente para pacientes e para quem trabalha na área de saúde, mas a toda população.

Dra. Marta esclarece que as mãos devem ser lavadas com água corrente, de preferência, com sabonete líquido e secadas com papel toalha – na falta, recomenda-se secá-las naturalmente. Usar toalhas de pano ou peças de roupa é proibido, já que podem contaminar novamente as mãos.

De acordo com a médica, a ação mecânica de esfregar as mãos é o que elimina as bactérias. Já a espuma dos sabonetes é responsável por remover a gordura da pele, na qual estão localizados os germes e vírus.

Na rua, quando não houver pia ou água, indica-se o uso de álcool em gel, que remove grande parte das bactérias e vírus. Já os lenços umedecidos só são eficientes se forem à base de álcool”, alerta a médica.

“Mais do que nunca, neste momento de pandemia, quando não há água e sabonete deve-se usar álcool em gel 70. A concentração de pelo menos 70% é exigida porque a presença de aproximadamente 30% de água, nessa solução, propicia a desnaturação de proteínas e de estruturas lipídicas da membrana celular, e a consequente destruição do microrganismo, com maior eficiência do que em porcentagens menores ou maiores de etanol. Nesse último caso, o álcool evapora mais rápido, diminuindo o tempo em que este fica em contato com o microrganismo, sendo, portanto, menos eficaz.

“A ação é rápida, a higienização deve ter duração mínima de 20 a 30 segundos. Uma maneira fácil de cronometrar é cantar a música ‘Parabéns pra você’ duas vezes, destaca a médica. O mesmo, vale para o álcool em gel, que deve ser esfregado nas mãos por pelo menos 20 segundos para garantir a cobertura total.

Além da Covid-19, a especialista ressalta que o ato previne conjuntivite, diarreia infecciosa, gripes, infecções respiratórias, Hepatite A e as chamadas infecções hospitalares ou infecções relacionadas aos serviços de saúde.

Quando higienizar as mãos para prevenir a Covid-19?

– Depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar. Deve-se evitar levar a mão ao nariz ou à boca.
– Ao sair de espaço público, incluindo transporte público, terminais de ônibus, mercados, igrejas,
– Depois de tocar em superfícies fora de casa, incluindo dinheiro, botão do elevador, máquinas de cartão de crédito, corrimão…;
– Antes, durante e depois de cuidar de uma pessoa doente;
– Antes e depois de comer.

Em geral, deve-se sempre lavar as mãos:

– Depois de usar o banheiro;
– Antes e depois de comer;
– Depois de manusear lixo;
– Depois de tocar em animais e animais de estimação;
– Antes e depois de trocar as fraldas dos bebês ou ajudar uma criança a usar o banheiro;
– Quando as mãos estiverem visivelmente sujas.

Dicas básicas sobre a forma correta de higienização das mãos e também como proceder quando não há condições ideais para lavar as mãos: (duração: de 20 a 30 segundos)

1. Abrir a torneira e molhar as mãos, evitando encostar na pia.
2. Aplicar na palma da mão quantidade suficiente de sabão líquido para cobrir
todas as superfícies das mãos;
3. Ensaboar as palmas das mãos, friccionando-as entre si;
4. Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda entrelaçando
os dedos e vice-versa;
5. Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços interdigitais;
6. Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta,
segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem e vice-versa;
7. Esfregar o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda,
utilizando-se movimento circular e vice-versa;
8. Friccionar as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão
direita, fechada em concha, fazendo movimento circular e vice-versa; é preciso cuidar do alongamento das unhas.
9. Esfregar o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita, utilizando
movimento circular e vice-versa;
10. Enxaguar as mãos, retirando os resíduos dos dedos para os punhos;
11. Evitar contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
12. Enxugar as mãos com papel toalha;
13. Fechar a torneira acionando o pedal; com o cotovelo ou utilizar o papel toalha;
ou ainda, sem nenhum toque, se a torneira for fotoelétrica. Nunca usar as mãos.

Se estiver na rua e não tiver água e sabonete/sabão, a opção é usar álcool em gel 70. A maneira correta de utilizar é a mesma feita ao higienizar as mãos com água e sabão.

Sobre o Hospital VITA – A primeira unidade da Rede VITA no Paraná foi inaugurada em março de 1996, no Bairro Alto, e a segunda em dezembro de 2004, no Batel. O VITA foi o primeiro hospital brasileiro a conquistar, no início de 2008, a Acreditação Internacional Canadense CCHSA (Canadian Council on Health Services Accreditation). A certificação de serviços de saúde avalia a excelência em gestão e, principalmente, a assistência segura ao paciente. Além disso, o VITA é um dos hospitais multiplicadores do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente (PBSP). Ele visa disseminar e criar melhorias inovadoras de qualidade e segurança do paciente. Integra também o grupo de hospitais da Associação Nacional de Hospitais Privados – ANAHP. O VITA oferece atendimento 24 horas e é referência nas áreas de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia bariátrica, medicina de urgência, urologia, terapia intensiva, traumato-ortopedia e pediatria. Além disso, dispõe de um completo serviço de medicina esportiva, prestando atendimento a atletas de diversas modalidades; serviço de oncologia; Centro Médico e Centro de Diagnósticos. Para garantir um alto nível de qualidade nos serviços prestados aos pacientes, o VITA tem investido em ampliação da infraestrutura, tratamentos com equipes multidisciplinares, modernização dos equipamentos, humanização no atendimento, qualificação dos profissionais e segurança assistencial. www.hospitalvita.com.br

Website: http://www.cscom.net.br