Homem escrevendo sobre um caderno em branco
Planejamento criativo de economia

A economia criativa tem se tornado uma excelente alternativa para geração de renda, principalmente em períodos de crise econômica e turbulências políticas, garantindo assim uma estabilidade financeira para os seus investidores.

Seu conceito não é muito complexo de compreender, uma vez que a ideia é bem autoexplicativa. Assim, ao aliar a criatividade e potencial de capital social, você cria um produto único, que dificilmente será copiado por outra pessoa ou por uma companhia.

Esse tipo de produto pode variar muito em sua forma, como:

  • Pinturas;
  • Artigos de vestuário;
  • Artesanato em geral;
  • Jogos eletrônicos.

A indústria criativa não tem muitas limitações, a não ser pela capacidade de produção das pessoas envolvidas no processo, o que permite muitas inovações e produtos únicos no mercado, como a assessoria ambiental valor.

Além disso, o conceito da economia criativa não é um termo fechado, e existe um espectro grande de atuação há algumas décadas no mercado, tornando esse processo muito interessante para a maioria dos interessados em trabalhar dessa maneira.

No mercado brasileiro, a economia criativa tem cada vez mais espaço. É a chance que as pessoas têm de apresentar seus conteúdos de maneira mais livre, apostando em sua criatividade e conquistando boas vendas.

Entenda o que é e a origem da economia criativa

A ideia central por trás desse conceito é trabalhar com a criação de produtos majoritariamente, de maneira criativa e interessante. Quanto mais se comentar esse tipo de ação, mais qualidade você pode ter.

Além disso, o termo ganhou espaço dentro das políticas públicas, uma vez que a economia criativa é um forte impulsionador do mercado, aquecendo a economia local e aumentando a força de trabalho através de um sistema de Gestão Integrada.

Entretanto, este produto não é necessariamente um item que você levará para casa, como um objeto decorativo ou um quadro. Dentro desse conceito amplo, produções culturais e de entretenimento também se enquadram no processo.

Por isso, intervenções artísticas, músicas e até mesmo eventos culturais, como o carnaval, podem ser incluídos na categoria, possibilitando uma compreensão maior e melhor de como utilizar esse recurso de maneira efetiva.

Embora o termo tenha sido cunhado de forma acadêmica, a verdade é que esse tipo de ação é muito antiga, e possui uma série de desdobramentos.

O contexto por trás disso é a capacidade de explorar o potencial financeiro de recursos culturais, pautados na imaginação e criatividade. A venda de arte como um mercado tem séculos de idade.

Entretanto, o termo economia criativa vem da visão do escritor John Howkins e dos desdobramentos que surgiram a partir desse pensamento.

Hoje, diversos termos e referências são utilizados para que você consiga trabalhar efetivamente com esse tipo de atividade, divididos em setores que muitas vezes se complementam ao utilizar a implantação programa 5s e outras ferramentas.

O crescimento desse tipo de economia, mesmo em meio a crises financeiras, é muito maior do que o nível geral de economia, principalmente em países que investem forte em cultura. O número de empregos gerados por ações como esta também são muito relevantes.

Isso significa que é um setor muito importante para trabalhar, por conta disso, é fundamental que se compreenda a importância de suas possibilidades, principalmente no que tange a economia criativa.

Por conta disso, é preciso que uma pessoa interessada nesse mercado estude e consulte fontes de informação relevantes, que ajudarão a identificar as qualidades por trás das bases de pensamento.

Alguns livros podem ser fundamentais para o seu entendimento desse tipo de ação, por isso é preciso que você consiga compreender a qualidade dos materiais que está procurando, assim como faz quando busca por uma boa contabilidade e consultoria.

Principais referências bibliográficas sobre o tema

Entender o conceito da economia criativa é relativamente simples, mas se aprofundar e ser capaz de entrar em um diálogo sério, buscando melhorias para o setor, é bem diferente.

Então, quanto mais você trabalhar estes recursos, mais adaptado você estará para exercer uma boa atividade. Por isso, é importante procurar as fontes principais para entender o assunto.

Existem diversos materiais em livros e até mesmo em outras mídias, que podem ser consumidos e trabalhados de maneira efetiva para que você veja estes resultados de maneira expressiva com seus serviços de caldeiraria ou em outras áreas.

Entretanto, é preciso ter em mente que você deve identificar pontos relevantes para sua própria realidade ao longo da leitura. Dessa maneira, conseguirá aplicar na prática o que está aprendendo em teoria, e isso acaba ajudando muito a aproveitar esse tipo de atividade.

Ao avaliar os textos identificados aqui, é preciso que você consiga explorar todos os recursos apresentados. Isso porque esta lista não tem pretensão de ser um guia definitivo.

Novos estudos e novos materiais são lançados todos os dias, e você pode procurar aqueles que dialogam diretamente com você. Pois bem, vamos a algumas opções:

1.    Economia Criativa: Como Ganhar Dinheiro com Ideias Criativas

O livro de John Howkins foi o responsável por cunhar o termo economia criativa, e até hoje é uma das maiores referências. Neste livro, a ideia e os conceitos básicos da economia criativa são explorados, permitindo que mais pessoas possam trabalhar no segmento.

A proposta é criar e participar ativamente do mercado através da compra, venda e compartilhamento de produtos criativos, o que é fundamental para o desenvolvimento desse tipo de mercado, seja no segmento de painéis elétricos automação ou em outro.

O livro também dialoga sobre o potencial de exploração de recursos da economia criativa e como o mundo digital tem auxiliado o mercado a se sobressair. É uma obra que ajuda não só a entender todas as regras da economia criativa, mas o momento certo de quebrá-las.

2.    Economia Criativa: Fonte de Novos Empregos

Escrita por Victor Mirshawka, esta coleção estuda a economia criativa de um panorama tecnológico, identificando o impacto que esse processo pode produzir na geração de trabalho, trazendo uma reflexão sobre a adaptação em um novo mundo.

A ideia básica do livro é identificar os novos empregos que têm surgido no mercado e como um profissional pode se adaptar a estes modelos, trabalhando de maneira muito mais efetiva para conseguir resultados expressivos no mercado em que está inserido, como o de sacola ecologica tecido.

Ademais, a cada livro da coleção, o autor destaca alguns tópicos específicos e como eles interagem com as demandas que o mundo atual possui, principalmente do ponto de vista financeiro e mercadológico.

3.    O Caminho do Artista

Este livro, cuja autora é Julia Cameron, foi desenvolvido em formato de curso, e leva o leitor ao longo de vários exercícios cujo objetivo é explorar a criatividade interior. Muitas pessoas são naturalmente criativas, mas estão passando por dificuldades.

Esse livro é uma excelente maneira de ajudar profissionais que estejam com bloqueio ou que desejam iniciar uma carreira criativa, mas ainda não tem a desenvoltura para aplicar esse tipo de atividade.

Para atingir o máximo de efetividade com a obra, é preciso que o leitor seja ativo e participe das atividades propostas, principalmente para que consiga aproveitar estes recursos em sua empresa de automatizador para portões basculantes, por exemplo.

Dessa maneira, você consegue aos poucos se adaptar e fazer o potencial de utilização desse tipo de recurso crescer, aumentando mais e mais seu potencial de atuação dentro do conceito em que está inserido.

4.    A ascensão da Classe Criativa

Este livro do urbanista Richard Florida identifica o nascimento de uma nova classe social, que está se integrando à sociedade e remodelando conceitos econômicos. Trata-se de um grupo de pessoas que atuam diretamente em áreas focadas na criação.

Este livro indica uma série de possibilidades a respeito da formalização do trabalho criativo, desde locais de trabalho até cidades onde a chance de prosperar é maior.

5.    Empreendedorismo para subversivos

Este livro é um relato da trajetória de seu autor, Facundo Guerra, no caminho para abrir um negócio próprio. Trata-se de um relato de cada obstáculo e falha no caminho, com dicas fundamentais para esse primeiro estágio em que muitos profissionais se encontram.

Considerações finais

A economia criativa tem um forte potencial de engajamento, com recursos cada vez mais avançados e bem estruturados para alcançar melhores ganhos financeiros. Trata-se de uma ferramenta importante no mercado atual.

A criatividade tem sido cada vez mais requisitada, e seus métodos podem ser muito relevantes na estrutura de negócios da maioria das empresas. Por isso, estudar a respeito da economia criativa e seu impacto é fundamental nos dias atuais.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.