19/9/2013 –

A Faculdade Sumaré foi inaugurada no ano 2000 por iniciativa do Instituto Sumaré de Educação Superior (ISES) e, ao longo do tempo, destacou-se pelo crescimento sustentável de sua operação, tanto em termos de cursos acadêmicos quanto em termos de presença geográfica. Atualmente, está presente em todas as regiões da cidade de São Paulo por meio de sete campi: Zona Oeste (Sumaré, unidade matriz), Zona Leste (Tatuapé 1, Tatuapé 2 e Belém), Zona Sul (Santo Amaro), Zona Norte (Imirim) e Centro (Bom Retiro).

Cenário
Além de oferecer ensino de qualidade, a Faculdade Sumaré sempre teve o comprometimento de oferecer boa qualidade de Internet para os seus alunos (corpo acadêmico) e para os funcionários (corpo administrativo e docente). Por esse motivo, em junho de 2012, a instituição tomou a decisão de investir em um projeto de tecnologia para gerar maior performance de uso aos usuários.

“Anteriormente, tínhamos o mesmo link de saída tanto para a Internet quanto para o Data Center. Esse fato comprometia a qualidade da nossa rede, tanto pelo aspecto operacional, que é a navegação, quanto pelo aspecto gerencial, que é a análise do uso da rede”, afirma Cláudio Kiss, gerente de Tecnologia da Informação da Faculdade Sumaré, destacando que “também era necessário evitar a inoperância em horário de picos de atividade”.

Diante desse cenário, a instituição deu início a um processo de concorrência com diversas empresas de tecnologia para definir o fornecedor de uma nova arquitetura de rede, a qual teve a Neovia (prestadora de serviços de telecomunicações com uma rede totalmente baseada em tecnologia IP wireless) como vencedora. “Os diferenciais da Neovia foram a estrutura técnica em uma rede de comunicações própria, de modo que não teríamos exigência de alto investimento, e a disponibilidade de uma equipe de Serviços Profissionais, fato esse que foi determinante na sua escolha como fornecedora do projeto”, justifica o executivo.

Projeto
“Para se diferenciar do mercado de commodity, a Neovia trabalhou de forma consultiva, como um player que compreende principalmente as necessidades do negócio do cliente, atuando não apenas na entrega dos links de MPLS e Internet. Entregamos um pacote de soluções que envolvia reestruturação da rede do cliente e acompanhamento total no período de migração da rede”, afirma Luiz Buslik, CCO (Chief Commercial Officer) da Neovia.

Para atender o escopo do projeto, a Neovia forneceu, além dos Serviços Profissionais, um pacote de soluções direcionado para atividades que necessitam de elevado desempenho (streaming de vídeo, VoIP ou acesso à internet) e outro desenvolvido para formação de diversas redes de comunicação entre as unidades sem afetar o uso da internet local.

Em outubro de 2012, foi finalizada a implantação de uma rede de Internet via rádio com saída individual para cada unidade da Faculdade Sumaré e finalizada a interligação da Rede Privada Virtual (VPN – Virtual Private Network) da instituição com o Data Center, localizado na cidade de Barueri (SP), onde estão armazenados todos os dados corporativos.

Benefícios
“Por meio da nova arquitetura da rede, a Faculdade Sumaré passou a utilizar conexões independentes e, consequentemente, o primeiro resultado foi a eliminação do problema de conflito entre as saídas, pois cada tipo de aplicação era executado de forma separada e não havia congestionamento da rede”, destaca Cláudio Kiss.

Além disso, o projeto gerou os benefícios de aperfeiçoar a disponibilidade, performance e segurança do uso da Internet para 900 funcionários e mais de 15 mil alunos das sete unidades da Faculdade Sumaré.

. Disponibilidade: Acesso à Internet disponível em todo o tempo e, consequentemente, eliminando a inoperância que ocorria frequentemente com a arquitetura de rede utilizada anteriormente. Agora, em períodos de pico, o uso da banda chega a, no máximo, 80%. Porém, fora do horário de pico, o uso não ultrapassa 60%, o que significa que a experiência de uso também foi otimizada.
. Performance: Navegação seis vezes mais rápida, com taxa de transferência de dados aumentando de 70 kbps (kilobites por segundo, correspondente à 1.024 bits por segundo) para 450 kbps. Além disso, foi possível triplicar a largura de banda, atingindo 16 MB de Internet e 25 MB de VPN na matriz, além de 8 MB de Internet e 10 MB de VPN nas outras seis unidades.
. Segurança: Monitoramento mais eficiente do uso da internet e, consequentemente, análise mais precisa sobre quem utiliza a rede (tanto alunos como funcionários), como a rede é utilizada e para quais finalidades é utilizada (navegação, vídeos, leitura, atividades operacionais ou atividades administrativas).