Fibras sintéticas
Fibras sintéticas / Credit: Unsplash/CC0 Public Domain

176.500 toneladas de microfibras sintéticas – principalmente poliéster e náilon – são lançadas todos os anos em ambientes terrestres em todo o mundo.

A poluição do plástico no oceano tem recebido muita atenção nos últimos anos, mas os cursos d’água não são o único lugar onde o plástico se acumula. 14% de todo o plástico é usado para fazer fibras sintéticas, principalmente para roupas.

As microfibras, definidas como partículas com menos de 5 milímetros de comprimento, são geradas em grandes quantidades em todas as fases do ciclo de vida de uma fibra, principalmente durante a lavagem, que fragmenta mecanicamente as fibras sintéticas. Quando a água de lavagem se torna parte do fluxo para uma estação de tratamento de águas residuais, as microfibras que ela contém podem ser retidas junto com o lodo de biossólido, que pode ser aplicado em terras agrícolas ou enterrado em aterros.

Para entender o escopo global e a distribuição da liberação de microfibras sintéticas, os autores coletaram dados sobre a produção global, consumo e liberação de plásticos, incorporando dados adicionais sobre microfibras liberadas durante a lavagem tanto por máquina quanto à mão, e o acúmulo e distribuição de microfibras em estações de tratamento de águas residuais e o destino das lamas de águas residuais que contêm grande parte destes resíduos plásticos.

Como muitas regiões não possuem dados detalhados sobre o tratamento de águas residuais, os autores fizeram estimativas, quando necessário, para desenvolver um quadro abrangente, usando a renda média como um indicador para o grau provável de tratamento de águas residuais.

Os dados não representam o total de emissões produzidas por roupas ao longo de sua vida – por exemplo, roupas de segunda mão não são contabilizadas. No entanto, os cálculos dos autores mostraram que aproximadamente 5,6 milhões de toneladas métricas de microfibras sintéticas foram liberadas da lavagem de roupas entre 1950, o início do uso generalizado de fibras sintéticas, e 2016 – metade disso nos últimos 10 anos.

Pouco menos da metade acabou em terra, seja na superfície (1,9 milhão de toneladas), seja em aterros (0,6 milhão de toneladas). As emissões estão crescendo 12,9% ao ano, e as emissões anuais atuais para a terra (176,5 mil toneladas por ano) excedem as para corpos d’água (167 mil toneladas por ano).

“A remoção em grande escala de microfibras do meio ambiente é improvável que seja tecnicamente viável ou economicamente viável, então o foco deve ser a prevenção de emissões”, disse Gavigan. “Como as estações de tratamento de águas residuais não reduzem necessariamente as emissões para o meio ambiente, nosso foco precisa ser reduzir as emissões antes que elas entrem no fluxo de águas residuais.”

Fonte: https://phys.org/news/2020-09-synthetic-fibers-contribute-vast-amounts.html