Um estudo recente publicado na revista Scientific Reports revelou que mais de 4% da população mundial pode estar exposta a fortes inundações até o final do século. O estudo foi inspirado por um aumento contínuo no número de inundações costeiras em todo o mundo e baseia-se em pesquisas anteriores do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

Atualmente, cerca de 148 milhões de pessoas sofrem eventos de inundação em todo o mundo, mas isso pode aumentar para 287 milhões até 2100. Muitas das inundações estão relacionadas ao aumento do nível do mar causado pelo derretimento das geleiras.

O estudo revelou que; se não forem tomadas medidas para controlar as emissões de gases de efeito estufa, cerca de 77 milhões de pessoas serão expostas a inundações nos próximos 80 anos.

No entanto, mesmo que as medidas adotadas para conter as emissões de gases de efeito estufa sejam mantidas, o aquecimento global ainda continuaria a uma taxa de 1,8 graus Celsius.

Isso significaria que cerca de 54 milhões de pessoas serão expostas a inundações costeiras no final do século. Os efeitos do aumento das inundações costeiras pioram com o tempo.

No pior cenário, ativos costeiros no valor de US $ 14,2 trilhões sofrerão inundações na virada do século – o equivalente a 20% do atual PIB global. Considerando tais fatores, devem ser feitos esforços para minimizar as emissões de gases de efeito estufa.

As causas do aumento das inundações nas cidades costeiras são o aquecimento global causado pelo homem, tempestades e marés altas. À medida que as temperaturas globais aumentam, mais gelo terrestre derrete, levando ao aumento do nível do mar. Mas o estudo indica que mesmo ações imediatas podem não parar as inundações extremas.

O relatório alerta que até 2050, os principais eventos de inundação terão aumentado em intensidade. Um evento de inundação de um em 100 anos pode ocorrer a cada 10 anos. Até 4% da população global pode estar exposta a eventos severos de inundação.

O professor Ian Young, da Universidade de Melbourne, e co-autor do estudo, disse: “Certamente precisamos mitigar nossos gases de efeito estufa, mas isso não resolverá esse problema. A elevação do nível do mar já está consolidada – mesmo que reduzamos as emissões hoje, o nível do mar continuará subindo porque as geleiras continuarão derretendo por centenas de anos.”

O estudo identificou algumas regiões que provavelmente serão as mais afetadas pelo aumento contínuo do nível do mar. Entre as áreas de maior preocupação, estão o sudeste da China, o norte da Austrália e Bangladesh, além de Gujarat e Bengala Ocidental, na Índia.

Nos EUA, Carolina do Norte, Maryland e Virgínia foram identificados como os mais propensos a serem expostos. Outros países que provavelmente serão afetados por grandes inundações incluem França, Alemanha e Reino Unido.