Casas flutuantes no Brasil - complexo comunitário e de moradias as margens do rio
Casas flutuantes no Brasil - complexo comunitário e de moradias as margens do rio

Arquiteta de São Paulo propõe moradias flutuantes e sustentáveis para atender comunidades ribeirinhas de Manaus

A LafargeHolcim Foundation anunciou os vencedores do LH Awards 2021, maior competição de design sustentável do mundo, na categoria New Generations. A primeira colocação da etapa da América Latina ficou com o projeto , da brasileira Danielle Gregório, estudante da Universidade de São Paulo (USP). Na América Latina, foram premiados outros três projetos de jovens da Argentina, México e Colômbia.

O projeto vencedor propõe a construção de casas comunitárias para moradores da região ribeirinha de Manaus, que vivem sobre alto risco de inundação. A proposta é a construção de casas flutuantes sustentadas por palafitas, que se adaptem às condições locais, como clima e as cheias dos rios durante o ano. Além das unidades habitacionais, estão previstos um centro comunitário para atividades comerciais, recreativas e culturais e um centro de preservação ambiental. Tudo isso, aproveitando materiais e recursos disponíveis localmente.

A autora do projeto vencedor Danielle Gregorio, jovem arquiteta de São Paulo, acredita que a premiação trará visibilidade ao seu projeto e suscitará discussões sobre as construções habitacionais na Amazônia e o desenvolvimento sustentável na região. “O projeto prevê a criação de um complexo de habitações sociais que considera as especificidades da região e a arquitetura local, a fim de permitir a identificação dos moradores com as casas e valorizar a cultura local. Creio que seu diferencial é justamente esse diálogo com as características naturais, como o clima, com a cultura local, além do bom uso dos recursos locais”, explica Danielle.

A segunda colocação ficou com projeto de três estudantes da Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina, que propõe a criação de estrutura de manejo hídrico para mitigar inundações na cidade de Resistencia. O terceiro lugar foi Pablo Goldin Marcovich, estudante da Universidade Nacional Autónoma de México, com proposta sobre iniciativa para modernização, renovação e ampliação do mercado, oferecendo novas oportunidades de crecimento social, econômico e ambiental na Cidade do México. O último premiado foi projeto de estudantes da Universidad del Valle, de Cali, Colombia, voltado para a revitalização da paisagem e pavilhão botánico de Bogotá, que repara as consequências das atividades humanas na paisagem e oferece novos espaços para atividades educacionais e recreativas.

O LafargeHolcim Awards acontece a cada três anos, com objetivo de trazer novos enfoques para a sustentabilidade na construção civil e desenvolver soluções para problemas como as mudanças climáticas e a escassez de recursos naturais. A principal categoria da competição é aberta a arquitetos, engenheiros, proprietários de projetos, construtores e empresas de construção.

Os projetos devem apresentar um estágio avançado de design e uma alta probabilidade de execução. Já os estudantes e jovens profissionais (com 30 anos ou menos) podem enviar conceitos visionários e ideias ousadas na categoria Next Generation. As iniciativas podem estar em um estágio inicial do design, incluindo trabalhos de pesquisa e estúdio de design.

Nesta edição, foram recebidos 4.742 projetos de 134 países, sendo cerca de 50% dos participantes inscritos na categoriía Next Generation. O júri, formado por especialistas independentes de cinco continentes, avalia as inscrições a partir de “questões-alvo” abrangentes para a construção sustentável segundo a LafargeHolcim Foundation: inovação e transferibilidade; padrões éticos e inclusão social; recursos e desempenho ambiental; viabilidade econômica e compatibilidade; e impacto contextual e estético. A competição promove o pensamento circular e a redução das emissões de CO2 em todas as disciplinas e identifica as ideias com o maior potencial para enfrentar os desafios atuais, buscando aumentar a urbanização e melhora da qualidade de vida. Os quatro vencedores receberam prêmios entre US$ 25.000 e US$ 10.000.

Ganhadores da categoría principal serão anunciados em novembro

Os projetos vencedores da categoría principal e seus autores serão premiados em uma cerimônia híbrida na Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza, em meados de novembro/21. Neste evento, os 33 ganhadores regionais serão homenageados e os vencedores dos Prêmios de Ouro, Prata e Bronze serão anunciados. Os 21 projetos vencedores da categoria Next Generation podem ser encontrados no site www.lafargeholcim-foundation.org/awards, com descrições detalhadas das propostas ganhadoras em cada região do mundo, relatórios completos do júri, fotos e vídeos.

Desde 2003, a LafargeHolcim Foundation promove a agenda da construção sustentável, principalmente por meio do LafargeHolcim Awards, a maior competição de design sustentável do mundo. A LafargeHolcim Foundation é uma iniciativa da LafargeHolcim, líder global em materiais e soluções de construção.