Americana, São Paulo 14/10/2013 – Mensalmente realizamos a coleta na Região Metropolitana de Campinas de aproximadamente 300 mil de litros de OLUC. Cada um dos 80 caminhões de coleta que possuímos tem capacidade para 30 mil litros/mês o restante é coletado por empresas terceiras parceiras

Questões relacionadas à preservação do meio ambiente estão em pauta a alguns anos. Desmatamento, destinação de resíduos, sustentabilidade, poluição industrial e urbana dos recursos hídricos e consumo energético são assuntos que estão sempre em evidencia na mídia. Entretanto, não são apenas os meios de comunicação que estão alerta mas, a população também tem mostrado preocupação com os abusos e utilizado, como ferramenta, canais como o disque denúncia da Polícia Ambiental para reportar problemas socioambientais.
De acordo com o Capitão Robis, Chefe de Operações da Polícia Ambiental, o número de denúncias apresentou um aumento considerável nos últimos anos. Em 2012, por exemplo, foram registradas 12.126 ocorrências no estado de São Paulo, e em 2013, até o mês de setembro, já foram feitas 20.010 denúncias de todas as origens como poluição de rios e nascentes até pesca irregular.
Isto mostra que a população está muito mais consciente e preocupada com o meio ambiente e com a forma que consumimos os recursos do planeta e este movimento não é apenas para a destinação dos resíduos, queimadas ou a pesca irregular, mas também ao descarte de um grande vilão do meio ambiente: o óleo lubrificante usado/contaminado (OLUC).
No mundo são produzidos cerca de 45 bilhões de litros/ano de óleo lubrificante, sendo o Brasil, o 5º maior mercado. Em 2012, o consumo brasileiro foi de 1.412.731m³ sendo coletado 416.607m³, 37% do volume produzido, e a expectativa é que em dois anos o volume coletado chegue a 38,50%. Dentre as região que mais coletam está a região sudeste seguida pela região sul do Brasil.
As orientações para coleta e destinação do OLUC foram instituídas no Brasil em 1993 pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) através da resolução 09/1993. Naquele ano o consumo era de 906.504m³ e deste montante 11,46% eram coletados, cerca de 103.928m³. Dentre as orientações Conama institui que a única destinação segura para o OLUC é o rerrefino.
O rerrefino é um processo químico que transforma o OLUC em óleo mineral básico de alta qualidade com características semelhantes às do primeiro refino. Contudo, por ser um material que, se descartado incorretamente, pode acarretar grandes problemas ao meio ambiente, sua coleta, pode ser feita apenas por empresas credenciadas na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Com 9 mil pontos de coleta espalhados pelo pais, a Lubrificante Fenix, empresa localizada na cidade de Paulínia, interior de São Paulo, é credenciada pela ANP, para realizar o serviço “Mensalmente realizamos a coleta na Região Metropolitana de Campinas de aproximadamente 300 mil de litros de OLUC. Cada um dos 80 caminhões de coleta que possuímos tem capacidade para 30 mil litros/mês o restante é coletado por empresas terceiras parceiras da LubFenix” afirma Rodrigo Domene, engenheiro químico e diretor geral da LubFenix.
Segundo Domene o material é coletado em pontos autorizados, centros de troca de óleo, oficinas mecânicas, transportadoras, industrias entre outras. Os resíduos são recolhidos por uma frota especializada que conta com 80 veículos providos de um sistema de bombeamento e os motoristas são treinados e credenciados na ANP que visita e verifica a necessidade do cliente.
Você pode contribuir com o trabalho da LubFenix e garantir a destinação correta do OLUC. Verifique os postos de coleta de OLUC da sua cidade ou solicite-a LubFenix através do telefone 0800 ou no site www.lubfenix.com.br. Faça a sua parte por um mundo melhor!