Além de prolongar a vida útil do produto, a compra e venda de seminovos diminui a demanda por recursos naturais, o desperdício e o descarte inadequado

Segundo o relatório da Circle Economy, grupo apoiado pela ONU Meio Ambiente, 62% das emissões de gases do efeito estufa são liberadas na atmosfera durante a extração, processamento e fabricação de novos bens para atender às necessidades da sociedade. Diante desse cenário, o comércio de itens usados passa a ter um grande papel na preservação do meio ambiente. Comprar ou vender um equipamento seminovo significa que um produto a menos precisa ser produzido para atender a demanda do cliente, promovendo o prolongamento da sua vida útil, a diminuição no uso de recursos naturais e redução da poluição. O descarte inadequado dos equipamentos, que pode desencadear diversos problemas ambientais como a contaminação do solo, também pode ser evitado através dessa ação, que reforça a importância em adotar métodos sustentáveis na gestão de empresas.

Pode não parecer tão significativo se for analisado com um olhar individual, mas quando essa estratégia é aplicada em larga escala resulta em diversas mudanças positivas ao meio ambiente. No Brasil, a EquipNet, empresa norte americana com mais de 20 anos, auxilia seus clientes no processo de negociação de equipamentos industriais usados ou desativados, de qualquer valor, em mais de 20 segmentos como alimentício, farmacêutico e P&D. Segundo Roberta Bosignoli, gerente de Operações e de Desenvolvimento de Negócios da EquipNet, é possível comprar e se desfazer de produtos de forma consciente, sem prejudicar o ecossistema.

“A EquipNet traz uma solução benéfica tanto no contexto sustentável quanto econômico. Através dos nossos serviços conseguimos ajudar o vendedor a repassar o equipamento, que não tem mais utilidade pra ele, para um comprador, que consegue adquirir o produto em bom estado e com um valor muito mais acessível. Nesse processo, o meio ambiente também é um dos favorecidos, afinal, os recursos naturais são preservados e o equipamento, que ainda está em bom estado, volta a circular no mercado”, afirma. 

Dar uma segunda vida aos equipamentos contribui com uma economia sustentável, que agrega valor ao negócio ao mesmo tempo em que o torna mais responsável ecologicamente. A comercialização de equipamentos industriais usados é algo novo no Brasil, mas que vem ganhando cada vez mais espaço devido aos diversos benefícios e a facilitação do processo de compra e venda.