Ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas
Ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Congresso Aço Brasil 2021, realizado pelo Instituto Aço Brasil, acontece das 9h às 13h e, pela primeira vez, em formato online e gratuito

O Presidente do Conselho Diretor do Aço Brasil e Vice-Presidente da Gerdau Aços Brasil, Argentina e Uruguai, Marcos Faraco, e Tarcísio de Freitas, Ministro da Infraestrutura, participaram da abertura do Congresso Aço Brasil 2021, que está reunindo hoje, 29/09, autoridades, empresários e especialistas de forma online para debater as perspectivas e a importância do setor do aço para a economia brasileira.

“A expectativa para hoje é uma grande interação, com a participação de representantes do governo e de empresas, além de especialistas e fornecedores do setor do aço brasileiro”, afirmou Faraco, em sua fala inicial, acrescentando que a indústria do aço operou com apenas 45% de sua capacidade no auge da pandemia no Brasil, mas que, felizmente, diante de medidas governamentais e dos cenários micro e macroeconômicos, o setor conseguiu rapidamente retomar a sua capacidade parada, conseguindo inclusive ir além, ao ampliar a sua produção na comparação com o momento pré-pandemia”.

Faraco ainda destacou no início de sua apresentação a drástica diminuição das exportações do setor do aço brasileiro ocorrida durante a pandemia, de forma a atender o mercado interno, e o boom no preço das commodities em todo o mundo, em um nível não visto desde 2000. Sobre as perspectivas do setor do aço brasileiro para 2021, Faraco informou que é esperado um crescimento na ordem de 14% na produção de aço bruto na comparação com 2020, de 19% nas vendas internas e de 24% no consumo aparente. “Todas as nossas expectativas seguem muito positivas. Estamos iniciando um circulo virtuoso e longo. Consideramos como prioridade a recuperação da competitividade sistêmica do setor do aço brasileiro, e isso está diretamente ligado ao Custo Brasil. É imprescindível a aprovação da reforma tributária, sendo ampla, diminuindo a cumulatividade de impostos”, pontuou.

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, em sua intervenção, afirmou que o aço é um indicador antecedente da economia brasileira. “Na esteira do crescimento do setor do aço verificamos também o crescimento do produto interno bruto brasileiro. Vale destacar ainda que a indústria do aço no Brasil atende hoje aos seus clientes em níveis elevados aos anteriores da pandemia”.

Tarcísio pontuou que o Governo Brasileiro hoje está buscando ainda mais investimentos em infraestrutura com o capital privado. “Já foram 74 leilões de ativos realizados com mais de 80 bilhões de investimentos contratados até agora durante o Governo do Presidente Jair Bolsonaro. Vamos iniciar agora uma nova jornada de leilões, incluindo, por exemplo, o Aeroporto Santos Dumont e a Rodovia Presidente Dutra”.

Finalizando sua fala na abertura do evento, o Ministro informou ainda que o Brasil caminha a passos largos para que no final de 2022 tenha mais de R$ 300 bilhões contratados com a iniciativa privada. “Olhando mais além, para 2026, muito provavelmente nós teremos um Brasil transformado em um verdadeiro canteiro de obras. E isso significa consumo de aço. Significa desenvolvimento. Temos a segurança de jogar tanto investimento na rua porque sabemos que temos uma indústria do aço que vai responder a altura. Esse setor não faltou no momento mais difícil recente. E não faltará nessa nova realidade”.

Durante a abertura do evento foi lançado também o Relatório de Sustentabilidade 2020 da indústria do aço. O documento apresenta os principais indicadores dos 3 pilares do desenvolvimento sustentável do setor. A edição completa, apresentada durante o Congresso Aço Brasil 2021 pode ser acessada a partir de hoje, 29/09, no site do Aço Brasil.

Programa completo e mais informações você encontra no site do evento: https://www.congressoacobrasil.org.br