Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Empresarial

Desde os primórdios da revolução industrial, observa-se que o sistema econômico se revestiu da utilização desenfreada dos recursos humanos e naturais que estão disponíveis, visto que o objetivo era, tão somente, a obtenção de lucros, sem necessariamente analisar os resultados sociais.

Entretanto, com o passar dos anos, foi possível perceber as consequências prejudiciais que decorrem do uso desenfreado dos recursos da natureza e ainda, da própria desvalorização do indivíduo, de maneira que um sinal de alerta soou em toda a sociedade.

Atualmente, o interesse em desenvolver atividades que estejam voltadas para a proteção integral da sociedade, se tornou um dos grandes objetivos, não apenas das Organizações Internacionais, como é o caso da Organização das Nações Unidas, mas também de vários países ao redor do mundo, das empresas e, por fim, da sociedade civil.

Portanto, torna-se perceptível que a responsabilidade neste processo de construção de um equilíbrio entre qualidade de vida e economia é coletiva, ou seja, todos são responsáveis pelo processo de construção de uma sociedade justa e ecologicamente mais equilibrada, conforme os preceitos estabelecidos na própria Constituição Federal.

É, nesse momento, que se destaca o instrumento da sustentabilidade, onde se compreende a possibilidade de materializar esse equilíbrio entre natureza, indivíduo e desenvolvimento socioeconômico.

Esta nova percepção de equilíbrio entre sociedade, economia e meio ambiente se tornou, portanto, como discurso necessário não apenas para o setor político e social, mas especialmente para as empresas privadas.

Por isso, a sociedade economicamente organizada passou a modificar seu estilo de produção e prestação de serviços, visto que os preceitos sustentáveis precisavam ser implementados. Sendo assim, as empresas começaram a entender que podem se utilizar da sustentabilidade e ainda se manter competitiva no mercado negocial.

Dessa maneira, a partir da aplicação de políticas governamentais estabelecidas numa perspectiva mais ampla (na esfera estatal), o sistema empresarial passou a implementar mudanças principiológicas no que se refere ao desenvolvimento de suas atividades corporativas, no âmbito dos Direitos Humanos, Direito do Trabalho, Meio ambiente e, por fim, desenvolvimento sustentável.

Sendo assim, compreende-se que, numa perspectiva ampla, o sistema governamental direciona às empresas a implementarem medidas que pudessem avançar nas pautas de sustentabilidade.

Motivos para Investir na Sustentabilidade Empresarial

Dentre as políticas de sustentabilidade que podem ser aplicadas pelas empresas destacam-se as seguintes:

Elaboração de medidas que incluam a comunidade em que a empresa se encontra inserida, percebe-se que uma empresa sustentável, deve apoiar a sociedade que está ao seu redor. Afinal de contas, a pobreza, os conflitos sociais, a falta de políticas públicas podem prejudicar a empresa, em algum momento. Dessa maneira, a sustentabilidade social se torna essencial para o sucesso da empresa.

Proteger o meio ambiente, pois não adianta uma empresa crescer economicamente enquanto o mundo se descontrói, afinal de contas os recursos naturais do mundo são limitados. Por isso, a sustentabilidade ambiental destaca-se como primordial para que a empresa siga nos parâmetros de aceitação do mercado de consumo.

Valorizar o indivíduo, visto que a mão de obra que faz gerar a empresa, independentemente, de sua condição de gênero, etnia, posição política deve ser respeitada e valorizada. A liberdade de pensamento e de expressão, o processo de inclusão das minorias favorece a construção de uma cultural empresarial múltipla, capaz de ampliar os horizontes de mercado da empresa.

A referida questão passa pela possibilidade de se implementa um código de conduta para os funcionários, no sentido de compreender a necessidade de se conviver em coletividade, respeitando as diferenças e aplicando medidas de igualdade social.

Enfim, a empresa precisa estabelecer medidas para considerar o trabalhador como pessoa e, não, como uma máquina de produção. Competitividade equilibrada, que se refere a possibilidade de a empresa crescer economicamente, mas de maneira justa, sem prejudicar nenhum sujeito que se encontra inserido no contexto, ou seja, a empresa não pode querer explorar seus funcionários (não pagando os seus salários) e achar que pode competir em pé de igualdade com toda a sociedade. (SEBRAE, 2018)

Se Deseja Investir em Sustentabilidade Empresarial aproveite e faça uma consultoria ambiental agora 

É importante ressaltar que, o respeito aos direitos humanos, passa a ter um destaque bastante significativo, inclusive no cenário corporativo, pois compreender a integridade do ser humano é a base para o desenvolvimento de qualquer atividade profissional, cultural, política e econômica.

Como é possível observar, a empresa sustentável terá como base essencial um tripé principiológico, qual seja: sustentabilidade econômica, social e ambiental.  E, portanto, a mudança de comportamento empresarial, se manifesta como um compromisso assumindo perante toda a sociedade.

A grande dúvida é: se uma empresa conseguirá se manter competitiva quando assumir os parâmetros de sustentabilidade? A resposta é simples e direta: SIM! pois ao passo em que a empresa adotar o tripé da sustentabilidade, a cultura empresarial será modificada, ou seja, passará a poluir e excluir menos, a respeitar e valorizar mais e, consequentemente, melhora a imagem frente à sociedade.

As mudanças sustentáveis que passam a ser adotadas pelas empresas modificam toda da corporação, pois os colaboradores ao se sentir mais valorizados, acabam por se dedicar ainda mais às atividades laborais, aumentando a produtividade e diminuindo os custos de produção.

A empresa deve se tornar, portanto, canal de representação da sociedade e conseguir, portanto, alinhar os interesses econômicos que pretende com os anseios de toda uma coletividade.

A aplicação de medidas sustentáveis pela empresa poderá gerar bons frutos na bolsa de valores, pois a reputação empresarial frente à população modifica e isso convida os investidores a conhecer um pouco mais sobre a empresa.

Sabendo da importância das políticas sustentáveis para a existência da empresa, a mudança de comportamento deve ser global, ou seja, desde o gestor principal até os demais colaboradores. 

Segundo a ONU, não adianta apenas um colaborador mudar um comportamento, pois no universo empresarial, torna-se necessário que todos os profissionais que estejam inseridos naquele contexto, pensem sobre a importância das medidas sustentáveis.

Mesmo que mudar uma cultura empresarial seja bastante difícil, não se pode desistir nos primeiros desafios, visto que os benefícios são bem maiores do que os esforços que serão envidados em todo o todo o processo. Ademais, destaca-se que a sociedade agradece a mudança de comportamento da empresa, pois o seu estilo de vida depende também, do tipo de política empresarial adota.

Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com a Horizonte Ambiental (empresa especializada em oferecer serviços ambientais para empresas).