O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Força-Tarefa do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado para enfrentamento à ocupação irregular do solo urbano (GAECO/FT-OIS), com auxílio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), participa, nesta segunda-feira (03/01), de uma operação para demolir construções irregulares, erguidas em área pública na Estrada do Itanhangá, na localidade da Muzema, zona Oeste da capital fluminense.

A demolição de três lava-jatos, uma oficina, uma igreja, um quiosque, um restaurante, um estacionamento e uma estrutura em fase de fundação ocorre na Estrada do Itanhangá, junto ao número 621. Todas essas construções, erguidas em área pública, pertencem ao miliciano Emerson Portela Claudino, vulgo ‘Missinho’, preso em operação realizada pela Polícia Federal no dia 21/12, em Rio das Pedras, também na zona Oeste. O GAECO/FT-OIS aponta que a construção irregular de imóveis é uma das maiores fontes de renda da milícia que atua na região.

Também participam da operação a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconserva), a Guarda Municipal do Rio (GM-Rio), o Comando de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (CPAm) e a Corregedoria da Polícia Militar (CInt/PMERJ) Esta é a quarta operação, em pouco mais de 30 dias, em parceria com a Prefeitura, para demolir construções, conter a expansão imobiliária e ocupação irregular do solo em Rio das Pedras e Muzema.

“Essa é mais uma operação integrada do Ministério Público, através do GAECO/FT-OIS, com a Prefeitura do Rio e a Polícia Militar do Estado para, além de devolver à população áreas públicas tomadas pela milícia que atua em Rio das Pedras e na Muzema, retirar da organização criminosa as suas fontes de renda”, apontou o promotor de Justiça Bruno Gangoni, coordenador do GAECO/MPRJ.

“A Prefeitura do Rio vai continuar fazendo ações de combate às construções irregulares, principalmente em áreas sob influência do crime organizado. O objetivo é preservar vidas, trazer ordem para a cidade e, naquilo que cabe ao município, asfixiar o poder financeiro das milícias. Por isso essa parceria com o Ministério Público e com a Polícia Militar é tão importante”, destaca o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Força-Tarefa

A Força-Tarefa para enfrentamento à ocupação irregular do solo urbano foi criada em 19 de outubro, por ato do procurador geral de Justiça, para auxiliar promotores de Justiça no combate à ocupação irregular do solo no Município do Rio de Janeiro e aos ilícitos relacionados nas áreas criminal, meio ambiente, entre outras, em especial, nas áreas de planejamento que abrangem bairros das zonas Oeste e Norte da cidade.

No dia 22/12, foi realizada operação integrada para demolir oito imóveis na Muzema. No dia 10/12, outra operação para demolir um prédio comercial que estava sendo construído pela milícia de Rio das Pedras em área pública, cujas lojas seriam alugadas pela organização criminosa para comerciantes locais. No dia 26/11, o GAECO/FT-OIS demoliu outro prédio da milícia de Rio das Pedras, que também estava sendo construído em área irregular.

Por MPRJ