As mobilizações globais de jovens pelo clima, que levaram 7,6 milhões de pessoas às ruas, em 2019, voltarão a chamar atenção de todo o mundo para a crise climática, nesta sexta-feira, 25 de setembro. Membros dos movimentos mais conhecidos preveem a realização de pelo menos 2500 ações de ativismo em dezenas de países.

O objetivo é exigir de todo os governos atitudes urgentes e ambiciosas para reduzir drasticamente as emissões de gases do efeito estufa e, assim, limitar o aquecimento global aos níveis definidos no Acordo de Paris. Cientistas alertam que conter o aumento da temperatura da Terra em até 2°C em relação aos níveis pré-industriais é essencial para evitarmos os efeitos mais catastróficos das mudanças climáticas.

Por causa da pandemia da Covid-19, a maior parte das mobilizações foi deslocada dos espaços públicos das principais metrópoles do mundo para a internet. Em seminários e protestos virtuais, jovens ativistas exigirão ações como o fim da produção e do consumo de petróleo, gás e carvão, a eliminação das fontes de financiamento aos combustíveis fósseis, o combate ao desmatamento e à degradação florestal e o respeito aos Povos Tradicionais.

Na América Latina, as mobilizações ocorrerão em um cenário de aumento das queimadas e da degradação de biomas como o Pantanal, a Amazônia e o Chaco. Em todo o mundo, as comunidades socialmente mais vulneráveis são também as que já enfrentam os piores impactos da crise climática. Por isso, demandas associadas à ideia de justiça climática, ou seja, de soluções que ajudem a resolver tanto a crise ambiental quanto a social, aparecem cada vez mais claramente na pauta dos movimentos jovens.

Em uma carta aberta divulgada uma semana antes das mobilizações globais, ativistas de países em desenvolvimento adiantaram o tom dos protestos desta sexta-feira. Eles destacaram a importância de ações específicas para evitar que queimadas, crises hídricas e desastres ambientais provocados pela indústria de combustíveis fósseis agravem-se no Sul global.

Entrevistas com jovens ativistas

* Conheça alguns dos jovens ativistas pelo clima que assinaram a carta aberta que antecipou as demandas dos protestos desta sexta-feira.
* A 350.org está à disposição para ajudar a marcar entrevistas com jovens ativistas pelo clima.

Fotos das mobilizações de 2019

* Confira números e relatos sobre os protestos do ano passado
* Baixe aqui fotos das mobilizações do ano passado.

* As fotos podem ser usadas por veículos de imprensa, gratuitamente, em reportagens sobre as mobilizações globais pelo clima e em conteúdos sobre o tema nas redes sociais. Qualquer outro uso é vedado. Os créditos estão indicados no nome de cada arquivo.

Ações de ativistas no Brasil e em Portugal

* Jovens ativistas de Porto Alegre lutam contra projeto de mina de carvão na região metropolitana
* Crianças e jovens portugueses levam 33 países à Justiça para que ajam pelo clima