Com a crise hídrica, a maneira encontrada para não se assustar na próxima fatura é reduzir o consumo. A mentora financeira Silvia Machado ensina como.

São Paulo – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a criação de uma nova bandeira tarifária, que foi denominada de bandeira de escassez hídrica. Com valor inédito, chega a R﹩ 14,20 a cada 100 kWh e ficará em vigor até abril de 2022. Um reajuste de 49,7% em relação a bandeira vermelha patamar 2, que já havia sido aumentada em junho.

Com o aumento inesperado da tarifa, a opção é buscar novos hábitos e reduzir o máximo possível de consumo de energia elétrica para não se assustar com o valor a ser pago na conta dos meses seguintes.

Para ajudar a amenizar essa alta, a mentora em finanças, Silvia Machado, dá dicas de como buscar uma maior economia no consumo de energia elétrica.

Aparelhos elétricos

Retirar os aparelhos da tomada, já que mesmo em stand by consomem energia; o mesmo vale para carregadores de celulares.

Geladeiras e freezers

Mantenha geladeira e freezers com boa vedação para não escapar o ar gelado e forçar um gasto maior de energia. Abrir e fechar várias vezes a geladeira ou deixar por muito tempo aberta é outro ponto a ser observado.

Luz elétrica

Durante o dia, se tiver casa com acesso a luz natural, mantenha janelas abertas e evite ligar as luzes. Não deixe luzes acesas, quando não estiver no ambiente. Se possível, troque as lâmpadas por LED que são mais econômicas.

Banhos rápidos

Banhos mais curtos, entre 3 e 5 minutos, devem se tornar um hábito. Se estiver calor, evite usar o chuveiro elétrico sem necessidade.

Ferro de roupas

Não deixe para passar roupas quando precisar usá-las. Passe de uma vez. O ferro de passar é um dos equipamentos que mais consomem energia. O mesmo vale para quem usa a secadora de roupas.

Fique atento aos selos

Se estiver comprando novos aparelhos e eletrodomésticos para casa, busque aqueles que têm selo de classificação A de eficiência. Estes são mais econômicos.

Evite transformadores

Evite também a utilização de transformadores de energia, eles gastam mais para converter a tensão.

Ar-condicionado e aquecedor

Tenha atenção no uso de ar-condicionado ou aquecedor; Segundo o INMETRO, o ar-condicionado gasta entre R﹩ 0,50 e R﹩ 0,95 por hora ligado ( média feita com aparelhos de 9 mil BTU) e o aquecedor com resistência elétrica gasta em média R﹩ 0,56 por hora.

Máquina de lavar roupa

Com essa nova tarifa, todos os horários são considerados como horários de pico. O ideal é lavar tudo de uma vez e, se possível, reutilizar a água para fazer atividades da casa, como lavar área externa.