Uma nova startup chega ao mercado brasileiro apostando na retomada das rotinas de academias para unir o personal trainer ao seu aluno sem a intermediação dos repasses financeiros, um modelo inédito de negociação que promete mudar a forma de se contratar orientação de preparo físico no Brasil. “A tecnologia não precifica o trabalho do profissional contratado, ele tem liberdade para gerir seus rendimentos”, informa Marcos Rodolfo Ramos Paunksnis, CEO da Sprylife.

O modelo funcional do negócio é simples. O personal trainer paga apenas uma mensalidade fixa à Sprylife referente à vitrine digital. O preço, os treinos e a forma de pagamento são negociados entre professor e aluno, sem nenhum repasse ou custo extra com a Sprylife. Nesse momento do mercado, a plataforma ainda está concedendo isenção de pagamento da mensalidade.

Outra vantagem de mercado ao personal é o clube de benefícios que a plataforma está constantemente organizando – uma das vantagens imediatas é um desconto de 40% nos programas de pós-graduação da Universidade Estácio de Sá. Esse clube traz uma série de descontos no mercado também para os alunos, que não precisam pagar qualquer mensalidade ou custo avulso para encontrar bons educadores físicos.

Os alunos podem encontrar o personal trainer pela sua localização geográfica, modalidade operacional ou baseado no próprio objetivo do aluno, sempre em contato direto com o professor escolhido. Só podem se cadastrar na startup educadores que tenham formação comprovada. “Já estamos pensando em novas parcerias, especialmente com eventos de informação que possam melhorar a qualidade dos serviços prestados por nossos profissionais cadastrados”, diz o CEO da Sprylife e mestre em educação física, Marcos Rodolfo.