Começar a carreira não é tarefa fácil. E no competitivo mundo atual, muitas dúvidas surgem a respeito de qual caminho seguir. 

Uma das dúvidas mais frequentes é sobre qual formação escolher: faculdade ou ensino técnico? 

Se você também tem essa dúvida, vamos conversar sobre os diferentes aspectos de cada escolha para que você possa optar pelo melhor, dentro das suas possibilidades. 

Lembrando que no momento da pandemia atual, começar uma carreira nova, dedicando-se ao estudo, também pode ser uma boa opção para entender como empreender na crise

Confira! 

  1. Diferenças entre graduação e ensino técnico 

Existem muitas diferenças quando se pensa em um curso de graduação ou um curso técnico. 

Para começar, algumas profissões só podem ser exercidas após um curso de graduação. Geralmente, são profissões que demandam registros em conselhos profissionais, tais como medicina, enfermagem, odontologia, engenharia, dentre outros, por exemplo. 

Ou seja, se você pretende ser profissional de uma dessas profissões, então deve se dedicar a um curso de graduação. 

Um curso de graduação é considerado formação em ensino superior. O curso de graduação possui em média de 4 a 5 anos e pode ser de dedicação parcial ou integral. Os cursos de dedicação parcial podem ser cursados junto com um trabalho. Já os de dedicação integral inviabilizam isso. 

Além disso, há cursos de graduação presenciais, semi presenciais e EAD (ensino à distância). Alguns cursos, no caso medicina, engenharia, enfermagem e odontologia, por exemplo, não são oferecidos por modalidade EAD. 

Já para outros cursos existe essa possibilidade de fazer o curso online. 

Existe também uma outra categoria, denominada tecnólogo. Um curso tecnólogo também é considerado de ensino superior, mas é considerado uma versão resumida de um curso de graduação e mais voltado ao mercado de trabalho. 

Cursos de tecnólogo geralmente duram de 2 a 3 anos e são voltados para áreas mais abrangentes como tecnologia da informação, por exemplo. 

Já o ensino técnico é considerado ensino médio. Ou seja, não é considerado formação em curso superior. 

Geralmente, o ensino técnico tem duração de dois a três anos e são focados em áreas profissionais específicas. 

Há grande abrangência de cursos de ensino técnico atualmente, voltados para áreas como eletrônica e mecatrônica, por exemplo. 

  1. O que é mais importante para começar a carreira? Faculdade ou ensino técnico?

Essa é uma questão complexa e depende muito da sua realidade e o que pretende seguir como carreira. 

É normal ter dúvidas. Portanto, se você está inseguro sobre qual área seguir, um curso técnico pode ser uma boa opção, sobretudo se você quer focar em habilidades específicas. 

Por exemplo, um curso técnico de prótese pode ser uma boa opção se você gosta de trabalhar na área de trabalhos manuais e pretende seguir depois nesse ramo. 

Há também muitos alunos que mais tarde optaram por um curso de graduação em odontologia, mas antes fizeram um curso técnico em prótese. 

Outros exemplos são os cursos de ensino técnico em enfermagem, os quais permitem que você, ao se formar, trabalhe como técnico em enfermagem em hospitais. Para você que pretende trabalhar nessa área, pode ser uma ótima maneira de começar. 

Além disso, há engenheiros que escolhem um tipo de engenharia específica, após se dedicar a um curso técnico em determinada área. 

Portanto, o ensino técnico pode ser uma boa opção para quem ainda não ter certeza de qual área seguir. 

Fora que não precisa ser um “pré-requisito” de graduação. Você pode optar por um curso de ensino técnico e já adentrar o mercado de trabalho. 

Dessa forma, depende muito do que você pretende para sua vida. 

  1. Vantagens e desvantagens 

Como tudo na vida, há vantagens e desvantagens. 

Quando se opta por um curso de graduação, por ser mais longo, demora-se mais para adentrar o mercado de trabalho. 

Outra desvantagem é que cursos de graduação costumam ser mais caros do que cursos de tecnólogo ou cursos de ensino técnico. 

Por outro lado, cursos de ensino técnico, embora tenham duração menor, são cursos de ensino médio. Portanto, você não pode partir para uma pós-graduação depois, se desejar. 

Além disso, os salários médios de quem tem formação de curso técnico costumam ser sensivelmente menores no Brasil em relação à quem tem um curso de graduação na mesma área. 

Um exemplo: o salário médio no Brasil de um técnico de enfermagem é de R$ 1.782,00. 

Já um enfermeiro tem salário médio no país de R$ 3.092,00. 

Portanto, é possível perceber que carreiras de ensino superior são mais valorizadas monetariamente no país. 

  1. Conclusão 

Decidir por uma faculdade ou um curso de ensino técnico depende muito das suas prioridades e o que deseja para seu futuro. 

Lembrando que você também pode optar por um curso técnico e, mais tarde na vida, por um curso de graduação na mesma área ou em área totalmente diferente. 

Tendo as informações corretas e bastante reflexão, certamente você fará uma boa escolha para seu futuro!