Sentado ao lado de um modelo da Terra em forma de panqueca, o dono de um restaurante brasileiro solta uma risada exagerada: “‘Hahaha!’ É assim que as pessoas reagem quando você diz que a Terra é plana”, diz ele.

Ricardo, que se recusa a dar seu nome completo por esse motivo, é um homem de 60 e poucos anos cujo restaurante se tornou um ponto de encontro de pessoas que, como ele, rejeitam a noção de que a Terra é uma esfera.

“As únicas coisas que sei com certeza são que vou morrer um dia e que a Terra é plana”, diz ele.

É um clube curioso, mas notavelmente grande: mais de 11 milhões de pessoas no Brasil – sete por cento da população – acreditam que a Terra é plana, segundo a empresa de pesquisas Datafolha.

E sua influência se estende surpreendentemente longe, em um país atualmente varrido na era pós-verdade e na visão de mundo anti-intelectual e cética das mudanças climáticas incorporada pelo presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro.

Um dos ideólogos mais importantes de Bolsonaro, o escritor e ex-astrólogo Olavo de Carvalho, disse que “não pode refutar” a teoria da Terra Plana.

No entanto, os Flat-Earthers do Brasil também são uma comunidade secreta, às vezes paranóica, comunicando-se através de mensagens criptografadas no WhatsApp, grupos apenas para convidados no Facebook e especialmente no YouTube, onde seus canais têm dezenas de milhares de seguidores.

Lá, eles são livres para declarar o que acreditam, sem medo do ridículo: que a Terra é um corpo plano e estacionário.

É um argumento que eles avançam com interpretações variadas da física, da ótica e da Bíblia, descartando todas as evidências em contrário como uma conspiração.

‘Maior mentira da humanidade’

Os brasileiros que acreditam que a Terra é plana são principalmente homens, geralmente católicos ou cristãos evangélicos, e com níveis relativamente baixos de educação, segundo o Datafolha.

Mas não confunda educação com conhecimento, alertam os Flat-Earthers.

“Os terrestres planos são os mais inteligentes. Escreva isso!” diz Anderson Neves, empresário de 50 anos, que veio ao restaurante de Ricardo munido de um panfleto denunciando as “fraudes” de Newton e Copérnico.

“Uma pseudo-ciência maligna corrompeu o sistema educacional em todo o mundo”, diz outro texto que ele está carregando.

Os terráqueos planos dão pouco crédito às fotografias da Terra tiradas do espaço e estão convencidas de que a NASA está cometendo um gia
Os terrestres planos dão pouco crédito às fotografias da Terra tiradas do espaço e estão convencidas de que a NASA está cometendo uma fraude gigante

Chama a ideia de uma Terra redonda “a maior mentira da humanidade, ditada pela elite global”.

Ao lado dele, o modelo de Terra plana de Ricardo mostra o sol e a lua como pequenas bolas, de tamanho igual, suspensas acima de um planeta em forma de disco.

“Basta olhar para o horizonte. Escale uma montanha e tire fotos. Você pode ver que a Terra não está curvada”, diz Neves, segurando um nível para ilustrar seu argumento.

Os Terra-chatos estão repletos de perguntas contra-factuais: se a Terra está girando a 1.700 quilômetros por hora no equador, por que o movimento não faz tudo voar? Se é uma esfera, por que não podemos ver a curva de um avião?

Eles dão pouco crédito às fotografias do espaço ou às respostas dos cientistas sobre a gravidade, o pêndulo de Foucault e dois milênios de observação astronômica.

“Sabemos com certeza que a Terra não é plana desde Galileu, desde o início do século XVII. Mas os gregos antigos a haviam reunido há mais de 2.000 anos”, diz o astrônomo Roberto Costa, da Universidade de São Paulo.

“Para os cientistas, essa (teoria da Terra Plana) parece mais um tópico para psicólogos ou sociólogos estudarem. A forma da Terra não é um problema científico para os astrônomos.”

Torre Eiffel inclinada?

Um dos mais proeminentes astrônomos do Brasil é Afonso de Vasconcelos, geofísico com doutorado pela Universidade de São Paulo.

Vasconcelos está sediada nos Estados Unidos, que também abriga uma grande comunidade de pessoas que vivem em terras planas. Um deles morreu na semana passada tentando se lançar mais de 1.500 metros no céu em um foguete caseiro.

Vasconcelos opera um canal no YouTube chamado “True Science” (Ciência de Verdade), onde expõe suas idéias para 345.000 seguidores.

O colega YouTuber Siddhartha Chaibub, “Professor Terra Plana”, tem quase 30.000 seguidores. Em novembro passado, o Chaibub ajudou a organizar a primeira convenção de todos os tempos para os brasileiros de terra plana, que atraiu centenas de pessoas em São Paulo.

Um dos alvos favoritos das teorias da conspiração dos Flat-Earthers é a NASA. Eles acusam a agência espacial dos EUA de puxar uma fraude gigante.

“O homem nunca pousou na Lua. Era um estúdio”, diz Ricardo.

Quanto às imagens de satélite que mostram a curvatura da Terra a partir do espaço, ele exige: “Onde está a Torre Eiffel inclinada?”