Se você trabalha CLT ou é dono de uma empresa, precisa saber quais as principais consequências da falta de qualidade de vida no trabalho. Afinal, isso afeta você diretamente, caso seja um trabalhador, ou afeta a qualidade de vida dos seus colaboradores e a produtividade da sua empresa, no caso se de ser um empreendedor. Portanto, é essencial entender quais são essas consequências e como elas podem afetar a sua vida.

Hoje em dia, o foco na qualidade de vida no ambiente de trabalho é significativo, mas poderia ser maior. A epidemia do coronavírus teve parte nessa situação em dois pontos que são, de certa forma, opositores. De um lado, a pandemia popularizou o home office, o que tirou das empresas a responsabilidade de lidar com a qualidade de vida no ambiente de trabalho. Do outro lado, colocou as pessoas em casa, o que fez com que elas percebessem mais essa importância.

Se você quer se aprofundar nesse assunto, siga a leitura para saber quais as principais consequências da falta de qualidade de vida no trabalho!

Quais as principais consequências da falta de qualidade de vida no trabalho?

1. Danos mentais e físicos

As consequências mais sérias da falta de qualidade de vida no trabalho são os danos físicos e mentais que o trabalhador recebe ao realizar o seu trabalho nessas condições.

Afinal, trabalhar em um ambiente que não é o adequado pode trazer estresse e ansiedade, o que gera uma série de consequências mentais e emocionais para o trabalhador. Por outro lado, a falta de segurança e ergonomia também estimula doenças e problemas físicos sérios.

2. Falta de produtividade

Se os trabalhadores acabam por adoecer física ou mentalmente no trabalho, é claro que a produtividade deles cai. Nem tinha como ser diferente, já que a produtividade está diretamente ligada à nossa saúde.

Essa falta de produtividade pode ser leve, causada por problemas simples como uma cadeira que não é confortável ou não força demais a coluna ou braços do funcionário.

Por outro lado, pode ser uma falta de produtividade mais grave, quando a ergonomia é tão ruim que o profissional simplesmente não consegue produzir o que deveria naquele dia, pois começa a sentir dores no corpo.

3. Menos integração de equipe

Um ambiente de trabalho com baixa qualidade de vida gera menos integração de equipe. Isso significa que os profissionais deixam de conversar entre si, não compartilham dados e informações dos seus trabalhos e isso não permite que a empresa ganhe com mais rendimento.

Além disso, inicia-se um ciclo negativo: não só o ambiente ruim cria menos convivência, como menos convivência cria um ambiente mais ruim.

4. Mais processos trabalhistas e previdenciários

Uma consequência óbvia desse cenário descrito acima é um aumento no número de processos trabalhistas e previdenciários. De um lado, é obrigação da empresa fornecer boas condições para os seus funcionários. Se não fornecer, há algo errado e a Justiça do Trabalho pode intervir.

Por outro lado, os profissionais lesionados podem precisar de auxílio-doença ou até mesmo aposentadoria por invalidez. Tudo isso gera mais custos para a empresa, que precisará de advogados, pagará indenizações e mais.

Pronto! Agora que você já viu quais as principais consequências da falta de qualidade de vida no trabalho, já pode entender a importância desse cuidado. É por isso que vale a pena contratar uma consultoria de saúde ocupacional para ajudar a sua empresa a dar o próximo passo nesse sentido. Um exemplo é a Veiga Gestão, uma das principais consultorias da área. Com o apoio de gente especializada, sua empresa promoverá uma boa qualidade de vida para os funcionários. Caso você seja um trabalhador, pode sempre indicar à gerência que veja essa situação para melhorar a qualidade de trabalho.

E aí, gostou do conteúdo? Comente abaixo com a sua opinião sobre ele!