Curitiba, Paraná 4/5/2020 – Herança genética e personalidade também são motivos significativos que tornam pessoas suscetíveis ao desenvolvimento da depressão.

Os principais sintomas da depressão na vida do dependente químico e como a família pode ajudar no tratamento.

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos mostram que o cérebro do indivíduo deprimido pode apresentar alterações químicas em neurotransmissores como a serotonina, substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células.

Herança genética e personalidade também são motivos significativos que tornam pessoas suscetíveis ao desenvolvimento da depressão. Algumas pessoas têm baixa auto estima ou são muito críticas consigo mesmas, por exemplo, e esses traços de personalidade podem ser herdados, causados por experiência de vida ou uma combinação de ambos.

As drogas afetam diretamente o sistema nervoso e, na maioria das vezes, causa lesões irreversíveis ao cérebro. Isso também contribui para o surgimento da depressão, levando o indivíduo ao isolamento social e da própria família.

Acaba se tornando uma reação em cadeia. O uso de substâncias entorpecentes pode levar ao preconceito por parte da sociedade e, como consequência por não ser mais aceito,  acabar desenvolvendo ou piorando o  quadro depressivo.

Acesse o eBook: Tratamento para depressão

Existem drogas que também causam depressão

A vida do dependente químico pode não ser nada fácil. O uso de drogas como maconha, crack, cocaína, ecstasy, entre outras substâncias entorpecentes, pode acarretar fortes crises de depressão, muitas vezes, difíceis de serem controladas.

Seja pelo consumo excessivo de drogas ou até pela falta de uso delas, episódios depressivos são bastante comuns aos dependentes químicos. A família, na maioria das vezes, fica sem saber o que fazer.

Alguns sintomas podem ser claramente percebidos no indivíduo que faz uso de drogas e está começando a demonstrar sintomas de depressão. De acordo com a Dra Cleuza Canan, psicóloga da Clínica Liberty, os principais sintomas são:

  • Tristeza constante

Dependentes químicos, principalmente quando acabam de usar drogas, têm sensação de prazer, euforia e bem-estar causadas pela ação das substâncias químicas no cérebro.

Quando o sentimento de tristeza constante começa a fazer parte da vida de uma pessoa que faz uso de drogas, a recomendação é procurar ajuda, ainda mais quando esse sentimento se torna cada vez mais intenso e frequente.

  • Falta de prazer em realizar atividades

O uso constante de drogas não impede o dependente químico de sentir prazer em realizar algumas atividades que goste, mesmo que seja de forma esporádica. Aliás, é bastante comum o indivíduo ter hobbies no dia a dia.

O problema começa quando não se encontra mais prazer em fazer o que antes gostava. A depressão também afeta uma parte específica do cérebro que é responsável por transmitir a sensação prazer e bem-estar para todo o corpo.

  • Redução da libido

A diminuição do desejo sexual é bastante comum em pessoas com mais de 50 anos de idade. Contudo, a redução na libido pode provocar depressão em pessoas que fazem uso de drogas, mesmo nas mais jovens. Por isso, deixar a vergonha de lado e procurar ajuda é fundamental.

  • Desesperança, apatia e cansaço

O uso de drogas pode causar sensação de euforia, prazer e bem-estar, principalmente no início. Por isso, os dependentes químicos podem demonstrar estado de alerta constante. Esse é um dos efeitos das substâncias químicas agindo no cérebro.

Sinais como desesperança, cansaço constante ou apatia com tudo e com todos ao redor, são sinais de depressão.

  • Falta de capacidade para o trabalho

Há dependentes químicos que trabalham e estudam normalmente. Só que o uso de drogas pode ficar cada vez mais intenso e frequente, o que pode levar à incapacidade física e mental para o trabalho ou estudo.

Dessa forma, se um indivíduo faz uso de drogas e sente-se cada vez mais incapacitado para o trabalho, a doença pode estar em um estágio mais avançado e a ajuda médica se faz necessária.

  • Alterações no sono e no apetite 

Mesmo quem não faz uso de substâncias químicas, pode ser acometido por alterações no sono e falta de apetite. Afinal, diversas doenças podem causar esses sintomas.

Dependentes químicos que sofrem de insônia e alteração no apetite podem estar sendo acometidos pela depressão. O uso constante ou a síndrome de abstinência podem agravar os sintomas e desenvolver quadro depressivo grave.

  • Falta de concentração e perda de memória

O uso abusivo e prolongado de drogas, pode causar, entre todos sintomas citados acima, falta de concentração e, em casos mais graves, perda de memória. E isso pode levar dependentes químicos à depressão grave, o que necessita de internação para tratamento especializado.

As drogas provocam lesões graves, algumas delas irreversíveis ao cérebro, o que pode ocasionar em demência e falhas na memória. Qualquer dependente químico que se encontra nessa condição certamente pode apresentar fortes episódios depressivos.

A Clínica Liberty, por exemplo, tem uma equipe online. Para buscar ajuda, basta pedir atendimento.

Procurar ajuda médica é essencial 

Os sintomas da depressão podem ser graves, principalmente para os dependentes químicos. Por isso, a família tem papel fundamental na busca pela internação do familiar dependente químico. Estender a mão para quem mais precisa de ajuda é essencial e a  clínica Liberty é uma ótima alternativa que o ajudará nesse momento tão difícil.

A Clínica Liberty ainda garante que tem a disposição uma equipe multidisciplinar de psicólogos, psiquiatras, terapêutas e enfermeiros. Vale destacar que a Clínica Liberty realiza internação segura e confiável e trabalha com programa terapêutico humanizado, com foco total na reinserção social do dependente químico e ajuda às famílias.

Clínica Liberty

https://clinicaliberty.com.br

(41) 3099-3507 de 8h às 18h 

(41) 3099-3501 de 18h às 8h  

WhatsApp (41) 99616-1295

Website: https://clinicaliberty.com.br/