De acordo com o relatório da ONU (Organização das Nações Unidas) mais de 2,3 bilhões de pessoas não tiveram acesso à alimentação adequada em 2020, ou seja 30% da população global percorreu o ano de 2020 com insegurança alimentar. Um relatório de várias agências, publicado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), mostrou que 811 milhões de pessoas passaram fome no ano passado.

Diante desse cenário, não será possível erradicar a fome até 2030, que era o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (Fome Zero até 2030). Segundo o Estado de Segurança Alimentar e Nutricional no mundo estima que o objetivo de acabar com a fome em 2030 não será alcançado por uma margem de 660 milhões de pessoas. Desses 660 milhões, cerca de 30 milhões podem estar ligados aos efeitos da pandemia que dura até os dias de hoje.

Então, o que pode ser feito?!

No relatório apresentado pela ONU, há 6 direções que os países podem tomar. Mas, como uma empresa brasileira pode contribuir para transformar esse cenário de fome e de mudança climática?!

” Nós, como redes de franquias e até empresas de menor porte podemos contribuir para erradicar a fome, amenizar a questão climática e até mesmo integrar a comunidade do entorno por meio das técnicas de ESG (Environmental, social and corporate) ou em bom português -Governança Ambiental, Social e Corporativa. Esse termo que parece ser intrincado, na verdade reflete ações que as marcas podem e devem praticar em prol de todos, indo além do lucro, e expandindo o ecossistema da produção até venda de forma sustentável”, explica o Diretor de Relações Institucionais do CEBRAC , Jefferson Vendrametto

A ESG tem como finalidade criar uma avaliação da consciência coletiva de uma empresa ao observar o modo de trabalho que realizam sem prejudicar a sociedade, contribuindo com ativos para ela. A definição para saber se uma empresa está seguindo as técnicas da ESG, é por meio de uma pontuação compilada de dados que são coletados em torno de métricas específicas, levando em consideração os ativos intangíveis dentro da empresa.

Pensando nesse cenário, Jefferson Vendrametto, especialista em educação e Diretor do Cebrac , correlaciona os ” seis caminhos de transformação citado pela ONU” com as técnicas de ESG, veja como praticá-las:

1- Integrem políticas humanitárias, de desenvolvimento e de consolidação da paz em áreas de conflito – por exemplo, por meio de medidas de proteção social para evitar que as famílias vendam bens escassos em troca de alimentos.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Compartilhe uma porcentagem do lucro empresarial a entidades ou instituições carentes.

2- Aumentem a resiliência climática em todos os sistemas alimentares – por exemplo, oferecendo aos pequenos agricultores amplo acesso a seguro contra riscos climáticos e financiamento baseado em previsões.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Colabore em dar apoio às empresas agrícolas, disponibilizando seguros para uma imprevisibilidade climática que pode prejudicar os alimentos durante uma grande venda ao fornecedor.

3 – Fortaleçam a resiliência dos mais vulneráveis à adversidade econômica – por exemplo, por meio de programas em espécie ou de apoio em dinheiro para diminuir o impacto de choques do tipo pandêmico ou volatilidade dos preços dos alimentos.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Empresas com portes de mercado ou supermercado, manter um preço que seja compatível com a média salarial e ainda doar alimentos aos que necessitam.

4 – Intervenham ao longo das cadeias de abastecimento para reduzir o custo de alimentos nutritivos – por exemplo, incentivando o plantio de safras biofortificadas ou facilitando o acesso dos produtores de frutas e vegetais aos mercados.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Comércios com vendas de frutas e verduras, mantenham o preço mais acessível, e permitam que um feirante ou vendedor de frutas disponibilize seus produtos no mercado para a venda; assim não há acúmulo de desperdícios.

5 – Combatam a pobreza e as desigualdades estruturais – por exemplo, estimulando cadeias de valor de alimentos em comunidades pobres por meio de transferências de tecnologia e programas de certificação.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Apoio à educação, promovendo cursos gratuitos com um auxílio alimentício.

6 – Fortaleçam os ambientes alimentares e mudem o comportamento do consumidor – por exemplo, eliminando as gorduras trans industriais e reduzindo o teor de sal e açúcar no abastecimento alimentar, ou protegendo as crianças do impacto negativo do marketing alimentar.

Solução da empresa ESG para contribuir com essa ação: Invista em informações que remetam a valorização da saúde, como propagandas com mensagens educativas para uma alimentação saudável.

Os motivos para a sua empresa começar hoje são as práticas de ESG: Retorno Financeiro; A sua empresa como referencial para as demais empresas e consumidores; Melhor reputação; e o mais importante a empatia- cuidando do entorno, da sua marca, consumidores, e do planeta.

O Cebrac apoia e pratica ESG, as construções do novo modelo de negócio Edtech são com materiais sustentáveis, assim como as reformas de unidades. Para conhecer mais sobre o negócio sustentável Cebrac, clique aqui!