Segmento de consórcios movimentou mais de R$ 100 bilhões de janeiro a outubro deste ano

Racon Consórcios
Racon Consórcios

Montante representa 27,2% a mais que o movimentado no mesmo período de 2018. Racon Consórcios encerra 2019 com crescimento de 10% no volume de vendas, em relação a 2018 e aposta no bom momento para incrementar seu volume de negócios.

Houve aumento da demanda para aquisição de planos de consórcio no Brasil. Parcelas adequadas ao bolso do interessado, prazos maiores e custo final menor que no financiamento são alguns dos motivos que tornam o consórcio uma das formas mais atrativas atualmente para aquisição de automóveis, imóveis e, até mesmo, a reforma desejada.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), os créditos concedidos, resultantes das contemplações e que foram utilizados de alguma forma no mercado nacional em 2019 – de janeiro a outubro, somaram cerca de R$ 110 bilhões, 27% a mais que os R$ 85 bilhões movimentados no mesmo período do ano anterior. O mesmo levantamento ainda revelou que, em relação ao número de adesões, registrado entre janeiro e outubro de 2018, o setor de consórcios cresceu 12,8% no mesmo período em 2019.

A Racon Consórcios encerra 2019 com crescimento de 10% no volume de vendas, em relação a 2018 e aposta no bom momento para incrementar seu volume de negócios. Para o gerente Comercial e de Marketing da Randon Consórcios, administradora da marca Racon, Cleber Sanguanini, o período de final de ano incentiva os consumidores a adquirirem um consórcio e investirem no bem desejado. “O poder de compra aumenta no período, em função da liberação do FGTS e do 13º salário, somados ao baixo índice de inflação”, destaca Cleber. Até outubro, o IPCA, que é considerado o índice de inflação oficial do Brasil, era de 2,59% – menor marca nos últimos quatro anos.