Setor alimentício fatura quase 700 bilhões em 2019

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), a indústria de alimentos e bebidas cresceu, aproximadamente, 6,7% e lucrou R$ 699 bilhões em 2019 com vendas e exportações em todo o mercado. Pode-se concluir que o faturamento do setor sucedeu-se a partir das mudanças de consumo de algumas categorias, com o aumento ou redução das vendas de determinados produtos alimentícios.

Aumento e redução de consumo de alimentos

A venda dos alimentos foi analisada e a pesquisa obteve em seus resultados: aumento de 11,1% de carnes; aumento de 5,6% de chá e café; aumento de 4,9% de desidratados e supergelados; aumento de 3,4% de condimentos, temperos, sorvetes e salgadinhos; redução de 10,8% de açúcar; redução de 4,7% de óleos e gorduras; redução de 4,1% de derivados de frutas e vegetais.

Embora tenha como resultado uma queda de, aproximadamente, 19,6% nas vendas de alguns alimentos, a indústria alimentícia encerrou o ano de 2019 com o crescimento de 2,3%, considerado o melhor índice de consumo desde 2013. Em contrapartida, a avaliação ressalta o regresso de 0,8% no crescimento da indústria nacional no geral, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria.

Brasil é considerado o 2º maior exportador de alimentos industrializados do mundo

Por ser considerado um dos principais fornecedores de produtos alimentícios de qualidade do mundo, o Brasil segue em segundo lugar no ranking das exportações. Com isso, o mercado da Ásia é um dos principais importadores de produtos brasileiros, o equivalente a 36,8% do recebimento. Em seguida, a União Europeia conta com o índice de 18,8% de importação de alimentos brasileiros, enquanto o Oriente Médio apresenta uma média de 14,3%.

Dessa forma, a estimativa para este ano é de que o panorama de crescimento de vendas reais da indústria alimentícia no Brasil seja de 3% em relação ao ano de 2019, segundo o presidente executivo da Abia.

Alta de consumo no mercado interno: varejo e food service

Para consumo de alimentos fora de casa, os consumidores têm optado pelo mercado interno, o qual oferece serviços alimentares como o mercado varejista (5,9%) e o food service (6,9%), que registraram um aumento de 6,2% em relação ao último ano. Além disso, conforme destacado pelo presidente executivo da Abia, o Brasil realiza a exportação de produtos alimentícios industrializados para mais de 180 países. Logo, essa ação garante o selo de qualidade dos produtos brasileiros de modo global.

Geração de empregos e investimentos na indústria de alimentos e bebidas

Com o aumento do faturamento da indústria de alimentos e bebidas, a geração de empregos também foi ampliada em todo o Brasil, com a criação de 16 mil novas vagas diretas em 2019, sendo 3 mil a mais em relação ao ano de 2018. Portanto, o setor alimentício corresponde a, aproximadamente, 23% dos empregos da indústria da transformação do país, o que representa 1,6 milhão de empregos diretos.

Enquanto isso, os investimentos, incluindo aquisições e fusões, atingiram a marca de R$ 22,3 bilhões, sendo considerado um crescimento de 4% em relação ao último ano, o que equivale a 3,2% do faturamento total do segmento. Sendo assim, os investimentos são aplicados em projetos de modernização e expansão de fábricas, P&D e desenvolvimento de novos produtos.

A Fin’Arte é uma empresa de bolos e brownies que atua no mercado brasileiro há mais de 20 anos, fornecendo produtos de qualidade também no meio digital. A marca oferece diversos produtos, como brownie de chocolate , fludens, bolos americanos e bolos amanteigados prontos para o consumo.

Website: https://finartealimentos.com.br/