A Amazônia é um dos maiores biomas encontrados no planeta, sendo um conjunto de florestas responsável pela manutenção e florescimento de diferentes espécies, desde os seres animais aos elementos de raiz vegetal.

Ao mesmo tempo, a floresta é encarregada de realizar muitos dos processos essenciais para a existência da vida humana na Terra, como no fornecimento de gás oxigênio, de água e de outros componentes que resultam desses elementos, como na produção de energia.

É justamente por essa sua importância na manutenção da vida no planeta que o seu cuidado é tão importante. É mais do que um reconhecimento pelos bens da natureza, mas também uma consciência sobre a sua importância para a preservação do planeta.

Uma preocupação inclusive para empresas que exerçam a função de fornecedores de plantas ornamentais, pois a extinção desses materiais é capaz de prejudicar todas as ações realizadas por uma companhia desse setor.

Isso além de claro, todos os danos que esse tipo de extermínio natural pode trazer para a manutenção da vida no planeta e de todas as associações realizadas nesse ambiente. Relações culturais, sociais e econômicas, que começam com essa conexão ambiental.

Por outro lado, o desenvolvimento comercial de uma sociedade não está exclusivamente ligado à uma extração negativa dos recursos naturais, já que novas ferramentas permitem que essa relação seja feita da maneira menos abusiva possível.

A natureza e a indústria 4.0


Por anos os setores industriais progrediram por meio de um tratamento descuidado sobre as riquezas naturais, explorando a natureza de forma desenfreada, sem se preocupar com o futuro dela, e dessa forma, sem se interessar pela sua própria preservação.

Essa não chega a ser a realidade de todas as empresas, é claro, pois muitas companhias já se preocupavam com o fator ambiental antes mesmo da exigência das entidades governamentais por um serviço de licenciamento ambiental.

E são essas mesmas companhias que hoje trabalham com o desenvolvimento de práticas que possam não só seguir com o progresso comercial de suas atividades, mas também com um auxílio ao meio ambiente, reconhecendo a sua importância para o mundo.

Isso porque o desenvolvimento industrial não é um inimigo da sustentabilidade na natureza, apesar de assim ter sido por muitos anos. Um dos fatores que modifica essa relação é a inclusão da chamada indústria 4.0.

Nesta quarta evolução do meio industrial, o foco desse setor são conceitos relacionados às tecnologias de automação, substituindo o trabalho humano, principalmente em atividades automáticas e de grande desgaste e risco para o organismo desses trabalhadores.

Como fabricantes de embarcações, que adotam as máquinas para o processo de averiguação da qualidade dos barcos e navios montados pela empresa, garantindo assim que os seus clientes não tenham nenhuma decepção com as propriedades dos produtos.

Pensar em mais máquinas sendo colocadas para trabalhar não parece algo muito favorável para o futuro do meio ambiente, principalmente ao lembrar da maneira destrutiva com a qual essa relação se consistia no passado.

Mas a inclusão da internet a esses processos permite um aprimoramento dos seus serviços, atuando inclusive em práticas que possam ser benéficas à natureza, ou que reduzam o máximo possível o número de danos.

Voltando ao estado da Amazônia, esse é um ambiente que sofre com as frequentes queimadas e práticas de desmatamentos, executadas por diversas atividades de extração natural, como madeiras e materiais minerais, sem contar com a indústria pecuária.

A implementação de estratégias tecnológicas pode influenciar positivamente na preservação desse ambiente, algo cada vez mais necessário quando se pensa em uma atividade comercial que tenha algum tipo de contato com esse ecossistema.

Como um gerenciamento de obras, que esteja coordenando algum tipo de construção próxima à Amazônia, tendo as permissões ambientais é claro. E essa relação benéfica entre a indústria e a natureza se faz pela chamada tecnologia verde.

Como a tecnologia pode ajudar a Amazônia?


Se a tecnologia não é uma inimiga da natureza, contrariando a ideia popular que o progresso é inimigo do meio ambiente – não que as primeiras fases da revolução industrial tenham ajudado nesse sentido – a inclusão dela é adequada ao processo de preservação.

Entre alguns fatores que comprovam essa associação positiva entre o meio ambiente e a tecnologia são:

  • O aprimoramento das atividades locais;
  • A ajuda no monitoramento das florestas;
  • Integração com o sistema judiciário;
  • O uso de fontes renováveis de energia.

Isso acontece porque essas tecnologias verdes estão empenhadas em um rendimento duplo para as empresas e atividades comerciais, atuando para o seu progresso, mas preocupadas também com o impacto que elas causam na natureza.

Uma luta positiva para o meio ambiente, assim como para a imagem dessas companhias, no qual a atenção aos conceitos sustentáveis é também uma preocupação do público consumidor.

Eles se tornam atentos à conexão real dessas empresas ao meio ambiente, averiguando se é uma preocupação real ou um mero golpe publicitário, conferindo, por exemplo, se os novos negócios passaram por uma avaliação ambiental preliminar.

O aprimoramento das atividades locais


Além da atuação das empresas no lugar, o povo local também causa um certo impacto à Amazônia, o que pode ser positivo, com atividades ligadas ao seu preservamento, mas também causando danos como a exploração em excesso da floresta.

A inclusão de tecnologias no trabalho da população amazônica permite um melhor desenvolvimento do povo em relação à floresta, afinal, esse público necessita de atividades comerciais para a sua subsistência.

Dessa forma é possível desenvolver práticas como a utilização de matérias orgânicas antes dispensadas, como a semente ou a casca de frutas na produção de doces ou objetos de decoração a serem exportados para todo o país.

A ajuda no monitoramento das florestas


Assim como um sistema de segurança atua na proteção da sua residência, a Floresta Amazônica também necessita de uma certa vigilância, afinal, a natureza não deixa de ser uma extensão natural das nossas casas.

Satélites específicos conseguem monitorar as queimadas e as regiões que sofrem de desmatamento, lidando com o mesmo tipo de patrulha que aquela realizada por projetos reforma de casas, que ficam atentas ao estado do seu material de trabalho.

Com a diferença que o objeto de trabalho da natureza são suas árvores e espécies animais e vegetais que ali se encontram.

Integração com o sistema judiciário


Pouco adianta, no entanto, a prática de um sistema de monitoramento e vigilância das florestas se não existe uma maneira de punir aqueles que estão causando danos à floresta, como madeireiros ilegais.

Para resolver isso, é preciso que essas tecnologias de segurança estejam conectadas aos serviços de vigilância, capazes de autuar os criminosos, e impedir que outros crimes ambientais sejam praticados ao ambiente.

O uso de fontes renováveis de energia


Uma das maiores necessidades da indústria é o uso de matérias-primas, não só na fabricação de seus produtos, mas também em todos os procedimentos de produção, já que uma máquina não movimenta as suas peças sem uma energia a alimentando.

Seja na ação dos equipamentos principais, ou no uso de instrumentos auxiliares, como um climatizador evaporativo em uma fábrica que lida com altas temperaturas, por causa do seu maquinário.

A Amazônia pode ser uma grande parceria nesse sentido, apresentando fontes renováveis de energia, que não trazem danos ao seu ambiente, além de ajudarem a indústria a trabalhar de forma consistente, sem a necessidade de combustíveis que podem se esgotar.

A energia solar, por exemplo, pode ser uma boa opção, extraída por tecnologias que ajudam na própria preservação da natureza, substituindo práticas de extração enérgica que impactam negativamente o ambiente.

Os benefícios de unir a tecnologia à Amazônia


A adoção da tecnologia às atividades realizadas na floresta é capaz de não só aprimorar essas ações, como permitir que elas ocorram sem trazer nenhum tipo de dano ao local, o que talvez seja o maior ganho da chamada tecnologia verde.

Além de impulsionar a economia legal, essas práticas permitem a preservação da cultura local da Amazônia, como suas árvores, frutos e espécies animais que ali se encontram, criando-se uma relação saudável de utilização da floresta.

Atividades benéficas ao ambiente, como a reciclagem, são aprimoradas com o uso de novas tecnologias, otimizando a venda de pallets usados na região, por exemplo, além de outras tarefas comerciais que impulsionam a vida dos residentes locais.

Considerações finais


Por anos a relação entre a natureza e o meio comercial era baseada no processo de exploração, o que com o tempo se revelou algo prejudicial não só ao meio ambiente, como às próprias entidades comerciais, com o esgotamento de suas matérias-primas.

É por isso que atualmente o desenvolvimento de novas tecnologias se preocupa em estabelecer uma relação benéfica com os ecossistemas naturais.

E é nisso que se destaca o cuidado com a Amazônia, um bioma rico cuja importância é essencial para a preservação da vida no planeta.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.