Como escolher um bom negócio para administrar e lucrar

O ano não foi fácil pra muita gente! Por conta disso, muitas pessoas buscaram e continuam buscando novas ideias de negócios, seja para complementar a renda ou abrir a sua própria empresa.

A decisão por um negócio próprio não é tarefa fácil, mas é prazerosa. Para ela, o fator individual atrelado ao desejo de fazer o que gosta vem à tona. O importante é optar por algo que dê vontade e ânimo, pois será algo com que você conviverá e que trará frutos diretamente para sua vida.

Não que um emprego formal não desempenhe essa função. Mas, tomar as decisões sobre algo que você escolheu é mais gostoso, não é mesmo?

São muitas as opções de bons negócios que surgiram no ano de 2020 e, que parecem estar em pauta neste ano que se inicia. Em se tratando de um ano bem atípico, de pandemia, muitas empresas mudaram seu rumo, fecharam, outras tantas abriram. A crise econômica fez com que uma enxurrada de mudanças acontecesse. E, sabemos que com situações adversas que surgem as oportunidades, as boas ideias.

Qual ramo de negócios realmente dá certo?

Difícil essa resposta. Ela é provida de variantes. E a primeira a se considerar é a forma como a pessoa lidará com o novo empreendimento. Além do dinheiro a se investir, a necessidade de se fazer algo que goste também impera na hora da decisão.

A pesquisa pelo tipo de negócio é importante e a relação que você terá com ele será um caminho para o sucesso. Mas somente iniciando algo que se conclui o êxito ou não, certo? Sim, claro, mas existem alguns nichos de mercado que podem ser mais lucrativos.

Uma boa sugestão para quem quer testar algumas ideias de negócios e analisar como está o mercado de uma determinada área, uma alternativa é começar a fazer trabalho como freelancer. Ou ainda optar pelo caminho do empreendedorismo digital, já que cada vez mais as pessoas estão conectadas à internet.

Mas se a sua vontade é mesmo empreender, fazer seu horário e alcançar os seus objetivos, abaixo algumas ideias de negócio com pouco dinheiro que podem ser úteis para que tome sua decisão.

Top 5: quais os negócios que estão em evidência em 2021

1 – Venda de alimentos

Todo mundo come. Partindo-se desse pressuposto trata-se de um mercado variado e promissor. É algo bem amplo, porém requer certos cuidados por se tratar de alimentos. Se pararmos para pensar, sem serem os pontos comerciais, quantas coisas não vemos vendendo de forma independente nas ruas da cidade? A começar pelos bairros: churros, ovos, pamonha, frutas e verduras, dentre outras.

Além disso, existem as opções como: doces, bolos, marmitas, sanduíches gourmets, comidas saudáveis, gastronomia internacional, comidas para quem tem um tipo de restrição alimentar, a lista é extensa.

2 – Serviços de beleza em domicílio

É um mercado em ascensão. Segundo uma pesquisa noticiada pela Forbes, nosso país é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo, só fica atrás dos Estados Unidos, China e Japão. Como é um nicho que está sempre em evolução, surgem novas tendências, procedimentos. Os custos para iniciar esse negócio, são em cursos e material, além é claro da locomoção até o paciente. Tais serviços podem se estender não somente às mulheres, o mercado masculino também mostra interesse nessa área. De acordo com um relatório da Research & Markets a previsão é de que esse mercado atinja o valor de US$ 78,6 bilhões em 2023.

3 – Mercado Pet

É uma área bem promissora também. No Brasil, esse mercado movimentou R$34,4 bilhões e a estimativa é fechar este ano com R$36,2 bilhões, de acordo com o Instituto Pet Brasil. Segundo essa pesquisa, o gasto médio mensal com um cão é de R$ 338,76.

Aqui a ideia não está atrelada a abertura de uma empresa para comercializar produtos para os pets. Esse mercado é amplo e diversificado e engloba outros serviços como, por exemplo: passear, adestrar, cuidar e hospedar pets.

4 – Aulas particulares

Se acha que é uma ideia comum ou até mesmo óbvia, pode estar enganado. A maioria das pessoas pensa em aula particular e a relaciona com professores de reforço ou idioma. Mas o mercado é bem mais amplo. Podem englobar aulas de culinária, dança, qualquer área do artesanato, instrumentos musicais, programação e até maquiagem. Tanto presencial, quanto online.

5 – Loja ou comércio virtual

Já sabemos que a internet sempre esteve em evidência e, isso não é de hoje. Ela é uma ferramenta extremamente utilizada, dentre outras coisas, no trabalho. Para tudo usamos a rede. Pode-se dizer que ela tem vida própria e oferece uma gama de possibilidades. E, dentre elas, existem os e-commerces ou lojas virtuais. O faturamento do e-commerce brasileiro deve movimentar R$ 106 bilhões em 2020, segundo estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm, fonte do próprio site). Isso é muito!

Ainda mais impulsionado por restrições de trabalhos presenciais (por conta da pandemia), o nicho do comércio virtual atende e abrange vários setores de compras online. Muito se pode comercializar pela internet. Basta atender a todos os pré-requisitos de segurança, pagamento e transparência de produtos, dentre outros.Não se esqueça de que para gerir seu próprio precisa de organização e disciplina, mesmo que para isso você tenha de lançar mão de ferramentas informatizadas como planilhas de fluxo de caixa, planilha de custos, controle de estoque, dentre outras tantas oferecidas gratuitamente, através da internet.